quarta-feira, maio 24, 2017

Boom Turístico e Colares

"Em Lisboa, o sector cresceu 15,4 por cento no ano passado, mais do que em qualquer outra cidade europeia. São 11,5 milhões de dormidas anuais. A capital está nas bocas do mundo e soma distinções: Melhor Destino Europeu, Melhor Destino Urbano, Melhor Destino Low Cost, Melhor Destino de Cruzeiro, além de estar em todas as listas das cidades mais bonitas do planeta. No Porto o número de dormidas atingiu os 2,6 milhões, um crescimento de 13,8 por cento face a 2013." *
Dados de 2015.
 Retirado daqui: http://www.noticiasmagazine.pt/2015/o-turismo-que-muda-vidas/

O boom turístico que o país vive , está a chegar a Colares, segundo algumas informações o antigo hotel Eden, e o Chalet José Inácio Costa, irão transformar-se em hostels

O Chalet de José Inácio Costa , teve início de construção em 5 de Novembro de 1885


“O Chalet de Inácio Costa que constitui um exemplar arquitectónico muito interessante, com as sua janelas góticas e decoração vegetalista estilizada dos capitéis patentes nas janelas maineladas, cuja gramática recorda vagamente certo estilo revivalista.”
No "Colares" de Maria Teresa Caetano

Antigo Hotel Eden
Hotel Eden

«Na “baixa” de Colares destaca-se, pois, o edifício do antigo Hotel Éden edificado por Inácio Costa, em 1887, e que foi durante vários anos, a única unidade hoteleira da região.Aquele capitalista construíra ali perto, a sua residência de férias (1885), a “Villa Costa”, provavelmente projectada pelo mestre Manuel Joaquim de Oliveira.
Estas edificações, pelo seu eclestismo no contexto vernacular em que se inseriam, mereceram , mais tarde, a seguinte apreciação de Frutuoso Gaio:«a quem se deve a construção do Eden Hotel, dos melhores chalets, e do seu magnífico palacete na Abreja, cujo recheio faustoso, era de tal opulência que até umas ricas cadeiras de uma das salas, quando as visitas se sentavam faziam ouvir peças de música».
(...)
«A “Villa Costa” e o Eden Hotel agremiaram um círculo intelectual e mundano da vilegiatura de fin de siécle e crente no progresso anunciado para o evo que se avizinhava, onde incluiam, para além da familia Costa , Chaves Mazziotti-proprietário da Quinta Mazzotti e deputado pelo Partido Progressista-Alfredo Keil, marquesa de Vale Flôr,conde de Sabugosa, conde de Valenças,viscondessa de Santarém,familia Portocarrero,o pintor Veloso Salgado-que em 1923 retratou o ilustre médico e cientista Carlos França-entre outros.»

Texto retirado de "Colares" da autoria de Maria Teresa Caetano

Quinta do Vinagre
Nos últimos dias veio à baila a possivel venda da Quinta do Vinagre, e segundo as notícias Madona, seria uma interessada em viver em Colares...
O Palacete foi construído no Séc.XVI, por D.Fernando Coutinho Bispo de Silves.Veio a ser adquirido mais tarde pelo Conde de Mafra que o vendeu à familia Schumberger.

terça-feira, maio 23, 2017

Coisas de Sintra na TVI

Programa televisivo da TVI,"Pesadelo na cozinha" com o Chefe Ljubomir Stanisic, num conhecido restaurante da Praia das Maçãs, utilizando também a Várzea de Sintra e o Eléctrico para cenário de um momento do programa.


Foto em 16/05/2017, na passagem por Colares


Ver mais aqui:
http://colares.blogs.sapo.pt/barmacia-antes-e-depois-do-pesadelo-376212

segunda-feira, maio 22, 2017

Sinais da biodiversidade de Colares

bloguePerdizVarzeadeColares32Têm algum tempo já estas fotos da Várzea de Colares -  os perdigotos na imagem, terão talvez, conseguido sobreviver  à "fileira" de caçadores, e continuar na nossa vizinhança. BloguePerdizVarzeadeColares2BloguePerdizVarzeadeCola8 Biologia da Perdiz Vermelha
Classificação Taxonómica desta espécie mais conhecida como perdiz comum, pertence ao Reino animal, ao Filo Cordata, a Classe das Aves, pertencendo a Ordem dos Galliformes. A Familia dos Phasianidea é uma das sete famílias que compõem a Ordem dos Galliformes. São exemplares da família Phasianidea: os faisões, os perus e claro as perdizes. A Perdiz vermelha pertence ao Género Alectoris. Sendo o nome cientifico da espécie Alectoris Rufa.
A diferença que existe entre macho e fêmea principalmente é no caso do macho a presença de esporão bem desenvolvido nas duas patas pois as fêmeas poderão ter presença de esporão mas apenas num tarso.
O tamanho do macho pode ser maior mais corpulento que a fêmea e o comprimento do tarso ser maior e mais grosso.
A reprodução desta espécie de uma maneira geral inicia-se em Março onde se costuma ver as perdizes aos casais e não em bandos por serem uma espécie monogâmica, dando inicio a postura nos fins de Abril até Junho podendo alargar o prazo dependendo das condições do ano.
A fêmea procura uma pequena depressão no meio da vegetação rasteira onde faz o ninho.
A Perdiz é uma espécie nidífuga, os perdigotos abandonam o ninho à nascença, permanecendo a ninhada junto da fêmea.


(Notas sobre a biologia da Perdiz -retiradas daqui)

sábado, maio 20, 2017

Porque hoje é Sábado...

Porque decorre no norte do País o Rally de Portugal - memórias de fotos dos anos 70 e 80,  quando o Rally TAP, passava por Sintra.
Lagoa Azul, um amplo anfiteatro de espectadores,


Partida de Michéle Mouton/Fabrizia Pons (Audi Quattro), para mais um troço na Lagoa Azul (1982)


Chegada  de  um Alpine RenaultA110 , ao Autódromo do Estoril depois de uma dura prova (1973)

Passagem no Cacém, na Av.Nuno Álvares Pereira.
Fiat 124 Spyder, na curva do antigo Cinema S.João no Cacém

"Ao longo da sua história, o Rally TAP, e mais tarde o Rally de Portugal, escreveram páginas de sucesso no palmarés do Mundial, a ponto de ter sido considerado por cinco vezes o “Melhor Rally do Mundo” e em 2000 ter sido distinguido com o prémio de “Rali com Melhor Evolução do Ano”.
ACP

quinta-feira, maio 18, 2017

Vinho de Colares - Provas de Vinho Comentadas

"De longínqua tradição, encimando a famosa lista da viticultura nacional, o vinho de Colares contém particularidades únicas, que o tornaram ao longo dos anos num dos mais apreciados vinhos do mundo. A sua famosa casta Ramisco, cuja vinha é abacelada em terrenos arenosos do litoral e sujeita ao micro-clima existente na região sintrense, produz um vinho de bouquet magnífico, cheio de delicadeza, sabor e perfume agradáveis, e com pequena percentagem de álcool.(...)"
*João Rodil em "Sintra na Obra de Eça Queirós"


quarta-feira, maio 17, 2017

Sessões nocturnas no Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas

Via Museu Arqueológico de Odrinhas
Foto MASMO
Ave Amici!

Estamos em plena época romana. O pater familias saúda os convidados e exorta-os a acompanhar as matronas da suadomus numa visita ritual aos túmulos dos antepassados e aos altares dos deuses. Nas sepulturas colocam-se grinaldas e sobre as aras ardem incensos e derramam-se libações. As trémulas luzes das candeias movem misteriosas sombras. Chamados pelos seus próprios nomes, os antigos romanos e suas divindades ganham uma nova vida e tornam-se presentes. As pedras falam!

Funcionamento: Sábado, dia 20 de Maio, três sessões nocturnas às 21.00 horas, às 22.00 horas e às 23.00 horas;
Informação:MASMO



terça-feira, maio 16, 2017

Memórias da Escola Industrial e Comercial de Sintra

Pintura mural executada por António Soares em 1964, sobre um painel fixo à parede, no hall da Escola Ferreira Dias (ex.Escola Industrial e Comercial de Sintra). Encontra-se profundamente integrada na arquitectura da escola e no espírito da época.(fotomontagem RiodasMaçãs)

Photobucket

O Painel da Escola Industrial e Comercial de Sintra

Pintura mural, inventariada com o número ME/401754/146, pertencente à Escola Secundária com 3º ciclo de Ferreira Dias,
Trata-se de uma pintura mural executada por António Soares em 1964, sobre um painel fixo à parede. Encontra-se profundamente integrada na arquitetura da escola e no espírito da época.
Ao centro temos uma figura feminina, com vestes brancas e uma criança sem roupa aos ombros. Esta criança segura
uma placa onde se pode ler "Escola Técnica/ Sintra Cacém". Ao lado desta, encontra-se uma figura masculina, de mais idade, que tem nas mãos um livro.
Do lado esquerdo e direito estão, respetivamente, cinco jovens do sexo masculino e do sexo feminimo, que hasteiam, bandeiras com símbolos alusivos aos vários cursos técnicos lecionados na escola.
A Escola Secundária com 3° Ciclo de Ferreira Dias teve a sua origem na Escola Industrial e Comercial de Sintra, criada 1959. O edifício inicial, onde se encontra a referida pintura, não sofreu grandes modificações desde a sua criação.
O autor da obra, Mestre António Soares (1894 - 1978), viveu numa época em que se começam a afirmar em Portugal novas correntes estéticas, ligadas ao modernismo, a par do naturalismo. Não teve qualquer tipo de formação académica e iniciou-se na vida artística através da ilustração. Destacou-se igualmente nas áreas da arquitetura, decoração e cenografia. No âmbito da pintura mural, podemos destacar as pinturas no café lisboeta, A Brasileira.
Caracteriza-se por um estilo que lembra Columbano, com grande interesse pela figura e pela sensibilidade e emoção que consegue transmitir. Participou em várias exposições
internacionais, entre 1959 e 1967.

texto retirado daqui

Photobucket


Post relacionado:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2011/11/escola-industrial-e-comercial-de-sintra.html