quarta-feira, novembro 07, 2007

O relógio da torre da Igreja Matriz de Colares


Jornal "Correio de Cintra" de 29 de Maio de 1904

Nesta data o Correio de Cintra anunciava que estava próxima a reposição em funcionamento do«relógio da torre da egreja que tão necessário está sendo, por ser esta freguesia essencialmente agrícola e precisarem os trabalhadores de um horário permanente e certo, para não estarem uns a trabalhar e outros parados,attendendo a que os relógios de algibeira todos diferem uns dos outros»

Notas de António Caruna em “Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares –1891-1991”:
-O relógio da torre da Igreja Matriz , foi instalado em 1798, conforme pode ver-se numa inscrição ali exteriormente existente.

Funcionava com um sistema de pesos e era necessário ir, julgo que todos os dias, enrolar uma corda de sisal, suspensa desde o maquinismo do relógio até ao nível do solo, na ponta da qual estava pendurada uma pesada pedra.

Mesmo com fiel do relógio, naturalmente responsável por «dar à corda» e pela conservação das engrenagens, o facto é que em 1896 o relógio estava parado em virtude de avaria.

Em 1 de Novembro de 1976 este sistema mecânico foi substituido por um mecanismo eléctrico.



4 comentários:

carlos freitas disse...

Parece que hoje também os relógios não assinalam as mesmas horas no mesmo preciso momento. Contigências do local ao global.

pedro macieira disse...

Carlos Freitas, de facto há muita gente com as horas completamente trocadas...e não só.

Estupefacto disse...

Comecei a ler o post e estava a reconhecer o texto. É bem verdade, por coincidência folheei há pouco tempo o livro da autoria do António Caruna, para assinalar o centenário da Banda de Colares, estando agora a comemorar-se os 116 anos. Parabéns, gostei.

pedro macieira disse...

Estupefacto,
O livro de António Caruna ,foi de grande utilidade para o trabalho que publiquei, sobre a antiga sede da banda dos Bombeiros Voluntários de Colares.coincidindo com o aniversário da Banda.
Um abraço