sexta-feira, agosto 21, 2009

Ainda Ontem - Miguel Esteves Cardoso

eléctrico da Praia das Maçãs

Disse-me um eléctrico

Não tenho férias. É Agosto. As minhas férias são fingir que ninguém me vai ler e que, por isso, posso escrever sobre as coisas mais vizinhas e menos interessantes. A quantos portugueses interessará saber que o eléctrico que vai de Sintra à Praia das Maçãs recomeçou, após anos de desespero e de desculpas, no dia prometido pela Câmara, dia 15?
Como é um veículo que passa à frente da minha casa, sou, logo à partida, um sujeito informado. A notícia no Público do dia 15 apenas confirmou o que eu tinha já visto no dia 14: uma estranha sensação. Como sempre, confio mais no que os meus olhos lêem do que no que vêem. O que vêem é sempre discutível e incompleto. Não é como se nem sequer tivesse acontecido; mas anda longe daí. No dia 14, vi passar o eléctrico duas vezes. Estava cheio de homens de fato e gravata; preocupados. Não posso garantir que lá estivesse o benfiquista Seara, mas creio que o vi, com aquela sorumbática esperança que nos caracteriza no século XXI, que é ansiar pela reconfortante certeza que vamos perder, para podermos ir para casa chorar.
Duas vezes disse adeus aos fatos. Da primeira ninguém me respondeu. Perdoei. Ofenderam-se com tê-los confundido com passageiros. Compreendo. Como eu os compreendo, Santo Deus.
Mas da segunda vez, quando buzinei (pela primeira vez na vida), o maquinista levantou a mão, como quem diz:”Noto o teu entusiasmo infantil.Mas deixa de ser tão piroso; está bem?”
E sabem que mais ? Deixei.


Ainda ontem –Miguel Esteves Cardoso
Crónica do jornal "Público" de Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

7 comentários:

António disse...

As referências do MEC a Sintra, nas crónicas do Público, têm sido uma constante durante este mês. Há uns dias, notava que Seteais é um dos únicos lugares onde se servem limonadas. Está um sintrense dos bons.

Zensasões na Malveira disse...

hoje vou passear de electrico

MEC disse...

Obrigado pelo elogio, Pedro e António!

Na verdade, sou um mero banzense - nem sequer um colarejo - e só estamos cá a viver há 6 meses, mas já é só aqui que nos sentimos em casa. Não por nenhuma razão especial: por muitas. Vive-se melhor aqui (o clima; as pessoas; as paisagens; a luz; a comida; o mar) do que em todos os lugares que conheci.

O Rio das Maçãs e o Colares foram os dois blogues que nos convenceram a vir viver para esta casa.

Maria João e Miguel Esteves Cardoso

pedro macieira disse...

Caros Maria João e Miguel Esteves Cardoso,

Agradeço a visita e o simpático comentário.Esta região que considero única, também pelas considerações que faz, obrigou-me a esta missão na blogosfera, tentando dar uma ajuda a preservar o que existe - sendo leitor assíduo das suas crónicas diárias no Público, e embora há pouco tempo por estes lados,tem sublinhado os aspectos mais peculiares e interessantes que nos faz gostar de viver aqui.
Um abraço

PS:
Também por sua causa, amanhã tenho agendado uma ida ao mercado de Almoçageme à procura dos já famosos pêssegos raiados...

pedro macieira disse...

Zenzações da Malveira,
O eléctrico é um dos meios de transporte mais interessantes e ecológicos de chegar à Praia das Maçãs.Também nos permite um pouco o regresso ao passado.
Um abraço

António disse...

Caros Maria João e Miguel Esteves Cardoso.

Embora só há pouco tempo tenha tomado conhecimento da vossa vinda para o Banzão, tenho várias referências ao Miguel Esteves Cardoso num bloguezito (Beijo da Terra), que entretanto abandonei. Dêm lá um salto. Aprendi a gostar da sua escrita nas aulas do Zink, na Nova.
Foi um prazer contactar-vos.

António Lourenço

MEC disse...

É um belo blogue, que muito nos encantou e interessou. Bem sei que é fácil incitar os outros ao trabalho, mas faz falta, António! Acrescente quando lhe apetecer - mas não abandone, se fizer favor.

Também eu hei-de ter de ter um, bem sei... Mas terei!

Abraços,

Maria João e Miguel