quinta-feira, junho 26, 2014

Abatida a Tília do Palácio da Vila de Sintra




Hoje de manhã foi abatida  a Tília que se encontrava junto ao Palácio Nacional da Vila de Sintra. Sendo actualmente o Palácio da Vila gerido pela Parque de Sintra Monte da Lua (PSML), estranhamos  e lamentamos a decisão. A tília fotografada em 30 de Maio de 2014, tinha uma enorme copa verdejante e Sintra gaba-se de ser ainda  Paisagem Protegida, estatuto atribuído pela UNESCO.

Fotos de hoje e o  lamentável resultado da intervenção desta manhã, lesando gravemente mais uma vez o património arbóreo de Sintra.



14 comentários:

Anónimo disse...

tristeza ..neste país desaparece tudo..,menos os iluminados desta brilhante ideia

Anónimo disse...

Pois esse crime tem sido cometido aqui em Cascais igualmente! Em frante de minha casa existe um lindo cedro que foi cortado deixando apenas a copa, hoje em dia está a morrer e querem corta-lo todo. As arvores todas de Cascais sofreram um verdadeiro atentadoo Verão passado, um batalhão de homens munidos de motoserras e cordas penduraram se nas arvores todos ao mesmo tempo cortando tudo até quase as copas. parecia um cenario de guerra. Infelizmente estão horriveis e para sempre danificadas. Não há ninguem que ponha um fim a isto?

Graça Sampaio disse...

Não pode!!! Incrível!

Cláudia Camacho disse...

Mas esta tília, em particular, era histórica!!! Havia documentação no Palácio sobre ela. Que autoriza uma coisa destas?

João Santos disse...

Enfim, mais uma para juntar à já longa lista de atrucidades da PSML com o aválo da CMS. Ficam as memórias da quantidade de travesseiros que comi naquela sombra

GREGORIA CORREIA disse...

Eu fotografei esta árvore em maio e ela estava seca, provavelmente quando a cortaram já estava morta!Podem vê-la na minha página do facebook https://www.facebook.com/1000Sonhos

Carlos José dos Santos disse...

Vê-se pela madeira do tronco e que resta lá, que estava sã, sem qualquer buraco, ou doença.
"A Tília do fundo do Paço", como nós Sintrenses da Vila Velha, lhe chamavamos, falemos dela.
Este espaço, antigamente e no tempo em que para dar um concerto da Banda da Sociedade União Sintrense, para o povo da Vila, não era preciso meter um requerimento ao Concelho de Ministros como agora, bastava pedir à Câmara Municipal, para lá colocar umas cadeiras, e no Verão lá ia a Banda por moto-próprio tocar para os seus associados, e para o povo em geral, porque o local era aprazível, a Tília, protegia das humidades, e se fosse de dia protegia do sol.
Aquela árvore teria séculos, pelos anéis da base quem sabe pode identificar.
Estou horrorizado, tenho já perto dos setenta anos, aquela tília fazia parte da minha/nossa vida. Não tenho nomes para definir esses "gajos", e os que me surgem são todos depreciativos, e ordinários. Uma parte dos sintrenses verdadeiros morreu. Esta não era um qualquer plátano, daqueles que a esmo, eles se têm entretido a matar por essa Sintra fora.
Muitos sintrenses daqueles que fizeram de Sintra o que ela é, hoje estão às voltas no túmulo. Essa gente faz tudo de ânimo leve, não se pergunta nada, é tudo à farta, raramente, ou nunca sai uma coisa bem feita, Fico por aqui. Hoje estou de luto!

José Coelho disse...

Provavelmente abateram a árvore porque estava a tapar a vista a alguém. Não me parece que estivesse seca, como a Gregória referiu.

Anónimo disse...

É...fica lindo sem a arvore....mais uma prova que em portugal tudo é gerido por idiotas...

Anónimo disse...

essa gregoria correia e os seus esquemas de ganhar dinheiro fácil... tenha vergonha na cara, fraudolenta.

ana disse...

Essa árvore foi feliz comigo...muito, muito triste...

Anónimo disse...

A Parques de Sintra - Monte da Lua explicou há minutos, através do Facebook, que o abate da tília centenária junto ao Palácio Nacional de Sintra, ficou a dever-se a razões de segurança. "No dia 19 de Junho, às 6h da manhã, caiu uma grande pernada da tília situada no Terreiro do Palácio, em frente à Ala Manuelina. A zona foi vedada para garantir a segurança dos muitos visitantes. Analisado o problema, verificou-se que a queda se deveu ao estado de podridão interior da estrutura arbórea. De acordo com o relatório elaborado pelo Director Técnico do Património Natural, foi decidido que a única solução era o corte da árvore e plantação de uma tília nova, no mesmo local", explica a empresa.

pedro macieira disse...

A justificaçao da PSML tardia e apos o abate da tilia de tilia demonstra a falta de respeito com os sintrenses, pois a tilia como todo o patrimonio que lhe foi atribuido gerir e uma herança que devem preservar. E a alteraçao desse patrimonio seja edificado ou arboreo, devera ser devidamente informado e ter em conta as associaçoes de cidadaos que antes da existencia da PSML j´a se batiam pela defesa desse patrimonio.

Anónimo disse...

É pena não ser feito o mesmo, no pescoço dos "assassinos" da árvore.Pobreza de espírito!!!