sexta-feira, novembro 17, 2017

Perigo de incêndios a partir de Sexta-feira

A Autoridade Nacional de Protecção Civil alertou para o perigo de incêndios a partir de sexta-feira e durante os "próximos dias", face a previsões de subida de temperatura e à seca que o continente atravessa.

Citando informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Protecção Civil alerta para um "período de tempo seco e subida de temperatura, para valores acima da média para esta época do ano".
http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/proteccao-civil-alerta-para-risco-de-incendios-com-subida-das-temperaturas
Periodo critíco de Incêndios até 23 de Novembro.
Guarda Nacional Republicana

Informamos que o período crítico vai vigorar até ao próximo dia 23 de novembro!
Durante este período é proibido nos espaços florestais e agrícolas:
- fumar, fazer lume ou fogueiras;
- fazer queimas ou queimadas;
- lançar foguetes e balões de mecha acesa;
- fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
- a circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.
Quando fizer piqueniques, opte por levar comida já preparada e que não necessite de ser aquecida, uma vez que é proibida a realização de fogo para a sua confeção.
Contamos consigo!
Saiba qual o risco de incêndio para o seu concelho em http://goo.gl/gUhIO9.

Postal da Praia da Aguda

Aproveitando este Outono atípico, uma visita à Praia da Aguda, com um dia de muito Sol.
Com acessos reconstruídos, uma praia a visitar
Post relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/07/parque-natural-sintra-cascais-interdita.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/07/as-arribas-e-o-parque-natural-sintra.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2011/04/derrocada-na-arriba-na-praia-da-aguda.html

Fotos da Praia da Aguda em 16/11/2017

Texto da CMS
Sobre a reabilitação dos acessos em 2015
"Foram iniciados os trabalhos de reabilitação do acesso de Emergência à Praia da Aguda. 
A autarquia pretende, com esta obra, melhorar as condições de segurança necessárias para que a circulação pedonal seja possível em situações de socorro e salvamento.
A intervenção consiste na remoção da estrutura em madeira ali existente e em risco rotura, reconstrução de algumas fundações e colocação de novo passadiço/escadaria com guarda-corpos em toda a extensão.
Custo da obra: € 26.890,00 + IVA"

quinta-feira, novembro 16, 2017

Postal da Praia da Adraga


A Praia da Adraga uma das mais bonitas praias da nossa região foi considerada em 2003 uma das 20 melhores praias europeias, na opinião dos leitores e jornalistas do The Sunday Times, jornal britânico de grande circulação. Mas a Praia da Adraga surgia citada num honroso terceiro lugar , sendo a única praia portuguesa a aparecer na lista dos leitores do jornal inglês.

Para esta classificação (Agreste, selvagem, de um azul intenso....simplesmente bela) dos visitantes britânicos, que terão a mesma opinião dos muitos utilizadores daquele magnifico local, terá contribuido a beleza envolvente, como o rochedo em forma de arco que mergulha no mar, as falésias e a gruta. Na maré baixa pode-se passar para a Praia do Cavalo e subindo a falésia pode-se admirar o Fojo, uma cratera natural que permite observar o mar daquele ponto elevado ou a Pedra de Alvidrar, local preferido de pescadores.



"A Praia da Adraga, com um côncavo dourado de areia entre dois morros formidáveis. De um destaca-se uma pedra enorme caída no mar e o outro parece ser um monstro petrificado. O que aqui é mais interessante é o contraste entre as falésias cortadas a pique e a areia onde o mar banzeiro se espraia. O que aqui é admirável é a onda dum verde translúcido que se despedaça em rolos de espuma sobre as patas do monstro ante-diluviano.Do meio da praia a ilusão é perfeita. Vêem-se-lhe nitidamente a cabeça, os olhos, as ventas, o focinho aguçado, a boca enorme que mergulha na água- como se a fera sedenta tivesse descido há séculos da montanha e houvesse ficado ali a tragar o oceano para toda a eternidade."

Raul Proença -Guia de Portugal -Lisboa e arredores-Ed.1924

Fotos em 21/10/2017

quarta-feira, novembro 15, 2017

Postal de Colares antigo (Reedição)

Pelourinho2vaultimage.jpg

Várias fotos antigas do pelourinho de Colares chegaram até aos nossos dias - hoje publicamos mais um interessante registo (1926) do Arquivo Municipal de Sintra.

"Na exiguidade espaço da praça colarense que se concentram os edifícios e instituições indispensáveis à máquina administrativa do concelho (de Colares*) e da justiça. A casa da câmara e a cadeia ficaram no "castelo", ou seja, na estrutura de origem medieval, e, para isso, ter-se-ão procedido, talvez logo em 1516, a melhoramentos vários.
(...)
Ter-se-á, igualmente edificado em frente à Casa da Câmara, o elegante pelourinho ou «forca» - como é designado na gíria popular - que ainda hoje, domina o centro da pequena  "praça", símbolo de poder e de jurisdição e local de punição de criminosos. Desconhece-se, no entanto, se o pelourinho mantém a sua localização primitiva, porquanto duas das pedras do degrau inferior da plataforma - e prolongando-se sob a mesma - consistem em fragmentos de uma inscrição datável do seculo XVII, indicando que sofreu ulteriores trabalhos de beneficiação, embora em data incerta."

in "Colares"/Maria Teresa Caetano

*Nota do blog sobre o antigo Concelho de Colares extinto em 24 de Outubro de 1855, em consequência de Reforma Administrativa de 1834.
**Notas sobre o Pelourinho de Colares:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/01/notas-sobre-o-pelourinho-de-colares.html
***Castelo de Colares:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2009/04/o-castelo-de-colares.html

Saloio a debulhar milho em Colares 1928/Foto do Arquivo Municipal de Sintra

terça-feira, novembro 14, 2017

Sobre a Sociedade União Sintrense

 (Post reeditado)

Carlos José Paulo Santos,  colaborador frequente do Rio das Maçãs, fez o favor de autorizar a publicação de uma preciosa peça da história da Sociedade União Sintrense.

  Sociedade União Sintrense (SUS), fundada em 8 de Maio de 1877.


Dois grandes pilares da história da SOCIEDADE UNIÃO SINTRENSE.
Francisco Figueiredo dos Santos e Carlos Caetano dos Santos (Caínhas Pai), e o inseparável Pinóquio agarrado ao seu querido dono (foto).

O Ti Chico ia todos os dias abrir o bar da colectividade, o meu pai mais espaçadamente, fosse qual fosse o tempo.
Já se sentia naqueles tempos que as coisas estavam a mudar, a frequência era maior quando chegava estes tempos porque a Sociedade União Sintrense, tinha sempre uma àgua pé que arrumava quase todas as outras aqui na volta, a àgua pé era produzida na casa havia lá tudo, desde pipas a prensa, como não se podia vender usava-se o truque de que cada barril tinha um nome escrito a giz, com o nome de um associado. No dia 8 de Dezembro era o dia da matança do porco, do qual vos apresentarei noutro local uma foto de alguns colaboradores.

Texto  e foto de Carlos José Paulo Santos (Caínhas)
(Baterista dos Diamantes Negros)

Página de Facebook sobre a Sociedade União Sintrense:
https://www.facebook.com/sociedade.uniaosintrense

domingo, novembro 12, 2017

Patos Mandarim no rio das Maçãs

O "boom" turístico  também chegou ao rio das Maçãs - os últimos turistas a chegar.
Casal de patos Mandarim na Várzea de Colares

"O Pato-mandarim (Aix galericulata), marreco-mandarim ou de 65 a 75 cm.apenas mandarim, é um pato de médio porte, parente próximo do pato-carolino. Mede de 41 a 49cm de comprimento com uma envergadura 
O macho adulto é uma ave marcante e inconfundível. Possui um bico vermelho, faixas brancas crescentes acima dos olhos, uma face avermelhada e "bigodes". O peito é roxo com duas faixas verticais, os flancos rosados, com duas faixas laranjas que deslizam pelas costas. A fêmea é similar à fêmea do Pato-carolino, com um anel branco em volta do olho e desenhado para a parte de trás do olho, esbranquiçada na parte debaixo, com uma pequena faixa branca na lateral e esbranquiçada também na ponta do bico.[1]
Os Patos Mandarins são referenciados pelos chineses como Yuan-yang (chinês tradicional: 鴛鴦, chinês simplificado: 鸳鸯, pinyinyuān yāng), são frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade conjugal. Uma vez que, após acasalarem se mantêm aos pares para o resto da vida."
Na Wikipédia

No rio das Maçãs, na Várzea de Colares

sábado, novembro 11, 2017

Porque hoje é Sábado...

O Dia Mundial do Origami comemora-se a 11 de novembro.
Mais do que um simples papel dobrado, o origami é um símbolo de paz, utilizado há séculos em cerimónias e festivais japoneses. Uma menina de 12 anos de seu nome Sadako Sasaki, vítima da bomba atómica da Segunda Guerra Mundial, tornou o origami de um grou um símbolo de paz mundial.
A Propósito da efeméride,uma homenagem à Garça Real, que é nossa vizinha

Quinta da Penha Verde


Na estrada que vai para Colares passando por Seteais e Monserrate,(anteriormente denominada Estrada Nova da Rainha)situa-se a Quinta da Penha Verde e a Quinta da Fonte dos Cedros, ligadas por uma pequena ponte.

-Criada por D.João de Castro , 4º Vice-Rei da India, em terreno que lhe foi dado por D.Manuel I , e mais tarde acrescentada por mais um pedaço que lhe deu D.João III, o Alto de Santa Catarina.

-“Por baixo do monte em que está situada esta quinta (Penha Verde), fica o sítio da Boiça, onde pelo terramoto de 1755, rebentou uma grande nascente de água, a qual juntando-se com a que vem da Sardinha e do Lourel, se vai lançar no Rio das Maçãs, que vai desaguar ao mar, depois de fertilizar com as suas águas o Vale de Colares”.
Sintra Pinturesca-1838-Visconde de de Jerumenha

-A Quinta da Penha Verde é referenciada por Eça de Queirós em “O Primo Basílio”, que localizava “as sestas quentes”, do protagonista “nas sombras da Penha Verde, ouvindo o rumor fresco e gotejante das águas que vão de pedra em pedra”.

-A Quinta da Penha Verde é Monumento Nacional, conforme decreto-lei nº39175, de 17 de Abril de 1953

quinta-feira, novembro 09, 2017

Conferência "À Volta do Vinho" em Colares



Conferência “À Volta do Vinho: Enoturismo à Prova!”


    A A2S – Associação para o Desenvolvimento Sustentável da Região Saloia organiza a Conferência Temática “À Volta do Vinho – Enoturismo à Prova!” que se vai realizar no próximo dia 15 de novembro de 2017, pelas 14h00 na Adega Regional de Colares em Sintra.
Trata-se de um evento que visa aprofundar e debater a temática do Enoturismo, nomeadamente, os desafios inerentes à estruturação, comunicação e comercialização dos produtos enoturísticos.
Pretende-se dar a conhecer o estado da arte da atividade enoturística, apoiar a criação de redes, dar início a processos de estruturação e organização da oferta turística, valorizando os produtos locais e turísticos de qualidade e apresentando exemplos de sucesso e casos de boas práticas.
Esta iniciativa vai contar com testemunhos de importantes académicos e profissionais com experiência nas questões do vinho e do Enoturismo e destina-se a produtores de vinho, operadores turísticos, alojamentos, restauração e todos aqueles que se interessam pela temática do vinho e do turismo.
*Texto da organização do evento

quarta-feira, novembro 08, 2017

Capela de S.Sebastião na Terrugem


Capela de S.Sebastião na Terrugem

De um texto da DGPC:
A pequena capela de São Sebastião, à beira da estrada entre Sintra e a Ericeira, tem as suas origens na Baixa Idade Média e numa petição feita pelos habitantes da Terrugem ao Arcebispo de Lisboa, para que pudessem ter uma "pequena ermida, com pia baptismal e capelão", evitando, desta forma, terem de se deslocar à igreja de Santa Maria de Sintra, então sede paroquial dos moradores da Terrugem (NOÉ, 1991, MARQUES, 2004 e ROSA, 2005, DGEMN on-line). Este pedido, deferido pelo arcebispo D. Afonso Nogueira a 23 de Julho de 1426, tem sido considerado como o documento fundacional da ermida mas, na verdade, não sabemos se a sua construção se processou a partir de então, sendo certo que os elementos arquitectónicos mais antigos que se conservam apontam para uma cronologia ligeiramente posterior, já em época manuelina. Por outro lado, desconhecemos se este pedido dizia respeito à capela de São Sebastião, ou à São João Degolado, actual matriz da Terrugem, que conserva igualmente parcelas manuelinas. 
Estamos em crer que a totalidade do templo que chegou até aos nossos dias foi integralmente construído (ou, quanto muito, reconstruído) na viragem para o século XVI. É certo que não encontramos, aqui, os ecos daquele manuelino sintrense que tanto sucesso teve na região a Norte da Serra, a partir do estaleiro do Paço Real, mas sim um vocabulário estilístico mais modesto e circunscrito à abóbada da capela-mor e ao seu arco triunfal, únicos elementos vincadamente manuelinos de todo o conjunto, mais de acordo, por exemplo, com a Capela de São Lázaro da vila de Sintra, obra onde a rainha D. Leonor teve comprovada intervenção e que, nem por isso, deixou de ser uma realização cheia de arcaísmos formais (porventura propositados).
(...)
Em ruínas em 1937, só a partir de 1955 a DGEMN promoveu obras de restauro. A primeira fase incidiu sobre os aspectos estruturais, desconstruindo-se e reconstruindo-se os contrafortes e refazendo-se integralmente a estrutura do telhado. Em 1957 procedeu-se a trabalhos no interior, consolidando-se o arco triunfal, pavimentando-se o espaço e concluindo-se as pinturas e o arranjo do altar. Finalmente, em 1958, realizou-se o arranjo urbanístico do exterior, regularizando-se o terreno e reedificando-se o cruzeiro fronteiro, cuja inscrição truncada foi encontrada durante os trabalhos.
PAF



DGPC

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74919

terça-feira, novembro 07, 2017

Startups & Web Summit

Começou ontem , um dos maiores encontros de negócios inovadores, que se realiza pela 2ª vez em Portugal - Um grande evento mundial, dinamizado por Paddy Cosgrave, que junta empresas potencialmente financiadoras e pequenas empresas criativas (startups) com soluções no mundo da Internet, na procura de financiamentos.

Fotos de hoje de manhã - este ano 60.000 interessados em Lisboa na Web Summit 2017
Pitch - Pequeno momento, que permite a uma startup explicar ao que vem...

segunda-feira, novembro 06, 2017

Lisbon & Sintra Film Festival

De 17 a 26 de Novembro
Um festival de cinema que se cruza com diferentes expressões artísticas. A actriz Isabelle Huppert será o foco principal do evento.

No Centro Cultural Olga Cadaval

No dia 17 a 18 de Novembro, o LEFFEST apresenta no CC Olga Cadaval a peça Ensaio para uma Cartografia, de Mónica Calle. Estreado no Teatro Nacional D.Maria II.

domingo, novembro 05, 2017

Três dias três fotos

03/11/2017Uma sexta-feira de Outono com chuva em Colares
04/11/2017 dia de Sábado, o Palácio e as brumas
05/11/2017 dia de Domingo com Sol e Vento no Magoito

sábado, novembro 04, 2017

Porque hoje é Sábado...

Sobre a regata "Volvo Ocean Race 2017 - 2018"

 Os sete veleiros que participam na regata "Volvo Ocean Race",(VOR) 2017-2018, numa volta ao Mundo, em 11 etapas - partem Domingo, de Lisboa para a África do Sul.
A equipa da " Turn the Tide on Plastic" (nas fotos), patrocinada pela Fundação Mirpuri, tem na sua tripulação dois velejadores portugueses :Bernardo Freitas e Frederico Pinheiro de Melo,
Esta é a segunda vez que Portugal tem velejadores na maior prova de vela oceânica, que teve início a 22 de Outubro em Alicante, sendo lisboa a 1ª Etapa,
The Mirpuri Foundation

Fotos em 01/11/2017 em Lisboa
Clean seas, it´s time to turn the tide

 Turn the Tide on Plastic

sexta-feira, novembro 03, 2017

Fontanelas - Festival da Maçã Reineta

Encerrou no dia 1 de Novembro, mais  uma Feira da Maçã Reineta em Fontanelas - pelo 5º ano consecutivo.

Maçã Reineta
"A maçã reineta é um fruto caracteristíco de Fontanelas. Com uma cor mista de tons verdes e castanho-avermelhado, forma arredondada, o gosto ligeiramente adtringente da sua polpa branca-amarelada, refresca-nos e faz-nos lembrar o clima ameno onde este fruto é cultivado."
*De um folheto distribuído pela organização do Festival da Maçã Reineta
Presença de vários produtores

Curiosamente a maçã reineta tem como vizinhas há longos anos, as cepas da casta Ramisco.
Macieiras e vinhas crescem nos mesmos terrenos, tanto de areia como  de chão rijo, lado a lado de forma alternada.

quinta-feira, novembro 02, 2017

Eléctrico da Praia das Maçãs - Horário de Inverno

Foto:Eléctrico na passagem por Colares
O novo horário de Inverno 2017/2018 do eléctrico de Sintra entrou em vigor no dia 30 de Outubro e está em funcionamento até 20 de Março..
.

terça-feira, outubro 31, 2017

O 126º Aniversário da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares


Inauguração da nova sede em Dezembro de 2016, com a presença do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.

 *Vídeo Blogue "Rio das Maçãs"

segunda-feira, outubro 30, 2017

Patos Mandarim de visita ao rio das Maçãs


Hoje deparámos, com chegada de visitas ao rio das Maçãs - um bonito casal de Patos Mandarim, ágeis e autoritários, observados com alguma distanciação pelo bando de Patos-reais, que por lá vivem há muito tempo.


"O Pato-mandarim (Aix galericulata), marreco-mandarim ou apenas mandarim, é um pato de médio porte, parente próximo do pato-carolino. Mede de 41 a 49 cm de comprimento, com uma envergadura de 65 a 75 cm.
O macho adulto é uma ave marcante e inconfundível. Possui um bico vermelho, faixas brancas crescentes acima dos olhos, uma face avermelhada e "bigodes". O peito é roxo com duas faixas verticais, os flancos rosados, com duas faixas laranjas que deslizam pelas costas. A fêmea é similar à fêmea do Pato-carolino, com um anel branco em volta do olho e desenhado para a parte de trás do olho, esbranquiçada na parte debaixo, com uma pequena faixa branca na lateral e esbranquiçada também na ponta do bico.[1]
Os Patos Mandarins são referenciados pelos chineses como Yuan-yang (chinês tradicional: 鴛鴦, chinês simplificado: 鸳鸯, pinyinyuān yāng), são frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade conjugal. Uma vez que, após acasalarem se mantêm aos pares para o resto da vida.
Um provérbio chinês para casais usa o pato mandarim como metáfora: "Dois patos mandarins brincando na água" (chinês tradicional: 鴛鴦戲水, chinês simplificado: 鸳鸯戏水, pinyinyuān yāng xì shuǐ). O símbolo do Pato Mandarim é também utilizado nos casamentos chineses, por que na tradição chinesa eles simbolizam a felicidade e a fidelidade conjugal. A razão para esta metáfora é por que ao contrário de outras espécies de patos, o pato mandarim permanece com a parceira com a qual acasalou até que os ovos eclodam e inclusive auxilia no cuidado com os filhotes.[2] Mesmo com os dois pais zelando pela segurança dos filhotes, a maioria deles não consegue chegar na idade adulta."

https://pt.wikipedia.org/wiki/Aix_galericulata



Pato Mandarim
Casal de patos Mandarim, observado por outro "estranjeiro" um dos patos Mudos, que adoptou o rio das Maçãs como habitat.

domingo, outubro 29, 2017

Noite de Fados no Mucifal

No Sábado, num palco onde estava em destaque Amália Rodrigues - um óleo, do amigo Francisco Neves, aconteceu mais uma noite de fados no Mucifal.
Uma sala com uma assistência atenta e participativa
Intervenções
Fotos em 28 de Outubro, na Associação de Idosos, Pensionistas e Reformados do Mucifal

Sobre a regata Volvo Ocean Race

Com texto via SIC Noticias

Os sete barcos da Volvo Ocean Race completaram este sábado a primeira etapa, que ligou Alicante, em Espanha, a Lisboa, com o Vestas a ser o primeiro a cortar a meta.


O barco britânico, liderado pelo 'skipper' Charlie Enright, precisou de 138:08.26 horas para percorrer as 1.450 milhas náuticas (2.690 quilómetros).

Na segunda posição, a 2:33.03 horas do Vestas, chegou o espanhol MAPFRE, com os chineses do Dongfeng a cortarem a meta 2:48.39 depois dos britânicos.
Os holandeses do AkzoNobel cortaram a meta 4:00.13 horas depois do Vestas, o Team Sun Hung Kai/Scallywag, de Hong Kong, precisou de mais 4:47.42, e o holandês Team Brunel gastou mais 6:19.37
A correr com a bandeira das Nações Unidas, o Turn the The Tide on Plastic, que tem o português Bernardo Freitas, foi o último a chegar à doca de Pedrouços, 6:30.44 horas depois do Vestas.
A chegada ao estuário do Tejo aconteceu três dias antes do previsto, uma vez que a abertura oficial do recinto está agendada apenas para terça-feira. O 'stopover' decorre até 05 de novembro, dia em que as embarcações partem para uma ligação transatlântica até à Cidade do Cabo, na África do Sul. Dois dias antes haverá a corrida de porto.
A Volvo Ocean Race, antiga Whitbread, é a maior competição de vela oceânica do mundo. Esta edição tem chegada prevista para Haia (Holanda), a 30 de junho de 2018, depois de 11 etapas em 12 países, com um total de 83.400 quilómetros (45.000 milhas náuticas).