sexta-feira, junho 30, 2017

Cinema nos jardins de Monserrate

Os jardins do Palácio de Monserrate irão receber, durante os quatro primeiros fins-de-semana de julho, o ciclo de cinema “Esplendor na Relva”, uma iniciativa que consiste na exibição de 12 obras-primas da história do cinema, muitas delas à noite, ao ar livre, com o propósito de oferecer uma experiência única aos visitantes. Esta é uma iniciativa da Parques de Sintra, com programação do cineasta João Mário Grilo.

Programação – Ciclo de Cinema “Esplendor na Relva” em Monserrate [PDF]
01/07 | sábado | 21h30
“Esplendor na Relva” (Splendor in the Grass) – 1961
M/12
De Elia Kazan
Duração: 124 minutos
Relvado de Monserrate
02/07 | domingo | 16h00
Aurora (Sunrise, A Song of Two Humans) – 1927
M/16
De F. W. Murnau
Duração: 94 minutos
Auditório do Palácio
Foto de 13/07/2014

Saber mais aqui:
https://www.parquesdesintra.pt/experiencias-e-lazer/esplendor-na-relva-12-obras-primas-do-cinema-em-monserrate/

quinta-feira, junho 29, 2017

Azenhas do Mar e o Penedo

Azenhas do Mar, ontem mesmo 

Sintra tem duas aldeias candidatas às mais maravilhosas do país. As Azenhas do Mar (na categoria de aldeias do mar) e o Penedo (na categoria aldeias em áreas protegidas) estão na lista das 49 aldeias apuradas, de entre as 322 candidatas selecionadas, numa candidatura submetida pela Câmara de Sintra.
Azenhas do Mar 28/06/2017


As regras para escolher as aldeias mais maravilhosas de Portugal são apertadas. As candidaturas, distribuídas por sete categorias –
aldeias monumento, aldeias de mar, aldeias ribeirinhas, aldeias rurais, aldeias remotas, aldeias autênticas e aldeias em áreas protegidas –, foram enviadas até 14 de março para a organização ‘7 Maravilhas de Portugal’.
Essa votação começará a partir de 3 de julho e, segundo a organização, será feita inteiramente por chamada telefónica. A 20 de agosto, a lista das 14 finalistas ficará fechada. Os portugueses têm, a partir daí, duas semanas para tomar decisões. A 3 de setembro chega o veredicto final: a aldeia que recolher mais número de votos em cada uma das categorias ganha.
Fonte:
http://sintranoticias.pt/2017/04/08/azenhas-do-mar-penedo-aldeias-candidatas-as-7-maravilhas-portugal/
Aldeia do Penedo
Penedo

quarta-feira, junho 28, 2017

Sobre o abate de Árvores no Parque Natural Sintra-Cascais - Ponto da Situação

"Floresta veio do latim forestis, derivado de foris ("fora"), que significa "mata exterior" com árvores, arbustos e plantas rasteiras, fora dos limites comunitários, onde só o rei estava autorizado a explorar a caça e extracção de madeira."
Maria Amélia Martins-Loução/Bióloga, Presidente da Soc.Portuguesa de Ecologia/Jornal Público 28-06-2017


No momento em que o tempo de nidificação das aves está a terminar (Junho,Julho) - * altura que o ICNF, calendarizou para o abate em massa de árvores, na zona protegida do Parque Natural Sintra-Cascais, a Assembleia Municipal de Sintra, aprovou na 2ªfeira por unanimidade o parecer que publicamos hoje.


1400 Árvores marcadas pelo ICNF para Abate


A Assembleia Municipal de Sintra aprovou na última "ªFeira, por unanimidade um parecer sobre as árvores .

-Durante a preparação do parecer na comissão de ambiente da Assembleia um bombeiro da protecção civil de Sintra foi ouvido e, tendo estado no terreno a ver as árvores marcadas, disse aos deputados municipais que não está de acordo com a justificação de que a intervenção prevista é boa para prevenir fogos. Para ele, o que faz falta é limpeza da floresta, abates só em situações concretas e pontuais.


O parecer que a Assembleia Municipal aprovou ontem por unanimidade  sobre as árvores

Nota:
 Na assembleia, Basílio Horta disse que enquanto for presidente só serão abatidas 45 árvores, as que os serviços identificaram como necessidade.
 Chegou também lista das árvores marcadas. Reparem que não há mapas nem um caderno de encargos. 

Resposta do Gabinete do Ministro de Agricultura e Florestas e Desenvolvimento Rural ao BE, em 19/06/2017


Encontro durante uma visita em 28/03/2017 no PNS-C

*Afirmação de bióloga do ICNF em 28/03/2017, durante a visita ao PNS-C da comissão de Ambiente.

terça-feira, junho 27, 2017

Quinta do Pisão na estrada da Lagoa Azul

Mesmo em frente à Barragem do rio da Mula


HISTÓRIA E PATRIMÓNIO
A Quinta do Pisão caracteriza-se por possuir um mosaico de vegetação que ora se estende por prados verdejantes, ora se fecha em copas de árvores frondosas. As diferentes paisagens foram moldadas por séculos de ocupação deste espaço. Na Quinta encontra-se, ainda hoje, a gruta de Porto Covo, onde foram identificados vestígios tanto de uma comunidade do Período Calcolítico como de enterramentos humanos que datam da Idade do Bronze. Durante a Idade Média desenvolveu-se ali o Casal de Porto Covo, existindo no local uma capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição e alguns equipamentos de apoio a atividades agrícolas, como estábulos, eiras, fornos e poços. Após anos de abandono, estas pequenas edificações foram alvo de recuperação pela Câmara Municipal de Cascais e estão hoje abertos à visitação. Já durante o século XIX a Quinta recebeu a produção de cal, cuja cozedura tinha um carácter sazonal, realizando-se apenas nos meses quentes e não ultrapassando as três fornadas. Era um ciclo de intenso trabalho, assegurado por pessoas que, no restante ano, dedicavam-se sobretudo à agricultura. Estes fornos também foram alvo de recente intervenção e também podem ser visitados. A partir dos anos 30 do século XX a Quinta do Pisão tornou-se numa colónia agrícola gerida pela Santa Casa da Misericórdia de Cascais, tendo sido criada uma casa de recuperação. Atualmente o espaço é gerido pela Câmara Municipal de Cascais que, além de promover a recuperação das áreas agrícolas e florestais, está a dinamizar a repovoação da fauna e a promover uma maior ligação com a população através das actividades desenvolvidas ao longo do ano.

Texto retirado daqui:
http://www.cm-cascais.pt/equipamento/quinta-do-pisao-parque-de-natureza

Paisagem rara na Serra de Sintra
Capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição
Biodiversidade na Quinta do Pisão
Forno de cal
Animais com grande espaço para se movimentarem
Horta
Casa da Cal, Centro de interpretação
*Fotos em 17 de Junho de 2017

segunda-feira, junho 26, 2017

Igreja Paroquial da Terrugem


Igreja Paroquial de São João Degolado

"A igreja de São João Degolado, paroquial da freguesia da Terrugem, é seguramente um dos templos religiosos mais belos do concelho de Sintra. Apresenta-se como mais um edifício da arquitectura religiosa da região saloia e insere-se e harmoniza-se perfeitamente na malha urbana circundante. A riqueza do seu interior, porém, distingue-a das suas congéneres."
.
"É possível que a primeira estrutura aqui construída remonte ao século XV – infelizmente não dispomos de elementos que nos ajudem a confirmá-lo. A campanha manuelina de inícios da centúria quinhentista, foi sem dúvida a mais importante. A torre sineira e o alpendre, certamente anexados no último quartel do século do século XVIII, inserem o templo na tradicional arquitectura religiosa da região saloia."

Texto retirado daqui:
http://revistatritao.cm-sintra.pt/index.php/patrimonio-1/igreja-paroquial-de-sao-joao-degolado-terrugem

sábado, junho 24, 2017

Marcha dos Santos Populares no Mucifal

Há mais brilho nas estrelas/Mais alegria nos lares/Quando vem as noites belas/Dos três Santos populares
Nas noites de Santo António/De S.João e S.Pedro/Com ferrinhos e harmónio/Abrilhantava-se o folguedo
Refrão
E no arraial/À luz das fogueiras/Baila cada qual/Sem sentir  canseiras/Gentis raparigas/Cantam com fervor/Singelas cantigas/Em quadras de amor

 Pelas ruas enfeitadas/Há bandeiras e festões/Passam marchas engraçadas/Com arquinhos e balões 
E o povinho folgazão/Numa alegria sem par/Canta com animação/Uma canção popular.

(Legenda das fotos)
"Santos Populares" /Letra e Música de José Fernandes Badajoz

Ontem no Mucifal -Arraial de S.João e desfile da Marcha, organização da Associação de Idosos, Pensionistas e Reformados do Mucifal

sexta-feira, junho 23, 2017

Noite do Museu de Odrinhas

Ave Amici!

Estamos em plena época romana. O pater familias saúda os convidados e exorta-os a acompanhar as matronas da suadomus numa visita ritual aos túmulos dos antepassados e aos altares dos deuses. Nas sepulturas colocam-se grinaldas e sobre as aras ardem incensos e derramam-se libações. As trémulas luzes das candeias movem misteriosas sombras. Chamados pelos seus próprios nomes, os antigos romanos e suas divindades ganham uma nova vida e tornam-se presentes. As pedras falam!

Funcionamento: Sábado, dia 24 de Junho, três sessões nocturnas às 21.00 horas, às 22.00 horas e às 23.00 horas;

Ingresso: 3,00 Euros; mediante reserva. Isenção para crianças até aos 14 anos.


Inf e foto: 
MUSEU ARQUEOLÓGICO DE SÃO MIGUEL DE ODRINHAS, SINTRA

quinta-feira, junho 22, 2017

E como a vida continua...


O Azul da "Sintra Atlântico"

O Azul da "Sintra-Atlântico"  voltou a circular entre Sintra e a Praia das Maçãs
Fotos de ontem, na passagem por Colares do "novo"  Eléctrico Azul

A 5 de Março de 1903, foram encomendados J.G.Brill, Company 13 veículos, entre os quais o número 1 da foto. A encomenda  foi de 4 carros-motores abertos, 3 carros motores fechados, 4 atrelados abertos e 2 atrelados fechados.
Ano de fabrico -1903
Fabricante - J.G.Brill, Company, de Filadélfia
Carroçaria tipo- Aberta com laternim
Velocidade máxima - 30 Km/h
Capacidade - 44 lugares (32 sentados e 12 em pé)

Nota histórica
O eléctrico nº7, com as cores da "Sintra-Atlântico", perto do desvio para o depósito na Ribeira de Sintra em 1959-Foto da colecção Valdemar Alves


  Companhia Sintra-Atlântico (1914-1975)
"A 15 de Agosto de 1914, o novo dono dos eléctricos tomou posse de todos os bens e respectivas concessões da extinta Cintra ao Oceano."

Fonte: "Eléctrico de Sintra" de Júlio Cardoso e Valdemar Alves

quarta-feira, junho 21, 2017

Bombeiros Voluntários de Colares no incêndio de Pampilhosa da Serra

Foto de um directo da SIC, com a imagem da presença dos Bombeiros Voluntários de Colares

Seis corporações de bombeiros do concelho de Sintra estão,  envolvidas no combate ao incêndio de Pedrógão. Estiveram na frente de combate 11 viaturas e 37 homens das corporações de Almoçageme, Algueirão-Mem Martins, São Pedro de Sintra, Queluz, Sintra e Montelavar. Hoje na frente do incêndio em Pampilhosa da Serra, os Bombeiros Voluntários de Colares.

terça-feira, junho 20, 2017

Visita ao Dakota (DC3) no Museu do Ar - Reedição

DC3MuseuAr16042013ablog.jpg
O Dakota DC3 , é a aeronave que fazia  ligação  Lisboa - Luanda - Lourenço Marques, a Linha Imperial, iniciada em 2 de Dezembro de 1946. Hoje, faz parte do espólio do Museu do Ar em Sintra e foi apresentado após restauro, no dia em que a TAP comemorava os 70º aniversário, em 14 de Março último.
DC3MuseuAr16042013.dblogjpg.jpg
Linha Imperial, um voo de 24.540 Km era efectuado em 12 escalas.
DC3MuseuAr16042015Blog.jpg


Escalas do voo da linha Imperial: Marrocos, Senegal, Gana, Gabão, Luanda, até Maputo (Lourenço Marques), no Congo ou Zimbabué.
DC316042015blog.jpg
Interior do DC3 durante uma viagem.( Foto do Museu do Ar)

DC3MuseuAr16042015bbBlog.jpg


 Casa de banho e cozinha do DC3. Preço total do voo entre Portugal e Moçambique 14.470 escudos.
DC3MuseuAr16042013.wdblogjpg.jpg
"O avião  de transporte Douglas D-47 Dakota (DC3) de origem americana, foi o cavalo de batalha da aviação de transporte táctico dos Aliados durante a II Guerra Mundial. Robusto e fiável. O primeiro avião deste tipo a ser utilizado por Portugal era da USAAf e aterrou por avaria em 1943, tendo sido apreendido e depois integrado na então Aeronáutica Militar, do Exército. Foram depois adquiridos a partir de 1953 mais 28 para a Força Aérea. Estavam dotados de dois motores radiais de 1200 hp, tinham uma velocidade máxima de 370 Km/h ou 290 em cruzeiro, um raio de acção de 3300 km e uma capacidade de carga de 3170 kg."
in "Os anos da Guerra Colonial" nº1
DakotaMueda.jpg
Dakota e Fiat G-91 em Mueda/Moçambique ( Guerra Colonia/DN)
DakotaDC3.jpg
Transporte de militares em avião «Dakota C-47», na zona de canbanga, no Leste de Angola(Guerra Colonial/DN)

Mais um pouco de história do DC3 do Museu do Ar, retirado do no site do Projecto Vintage AeroClub:
O avião DC3 da TAP, exposto no museu do Ar, na base aérea de Sintra é na verdade uma aeronave ex-DGAC, de matrícula CS-DGA. O modelo completo é C47A-80-DL, o seu número de registo é o 43-15037 e foi construído em 1943, na fábrica de Long Beach. Enquanto ao serviço da USAAF, participou nas operações militares da 2ª Guerra Mundial entre 1944 e 1945, foi vendido como surplus de guerra em 1946, primeiro para a Irlanda e finalmente para Israel, onde foi adquirido para voar para a DGAC, em 1963. A sua vida operacional terminou 29 Junho de 1979 e em 1987 foi oficialmente oferecido à TAP. Este avião nunca voou nas linhas da TAP. Enquanto espólio da TAP, foram-lhes aplicados vários tratamentos estéticos, principalmente ao nível do exterior, tendo o seu interior degradado significativamente ao longo dos anos. A pintura aplicada representa o CS-TDA, primeiro DC3 matriculado nos TAP. Um conjunto de pessoas interessadas e voluntárias, dentro e fora da TAP, propôs o restauro estético deste avião, para que volte a apresentar a excelência que a companhia representava, aquando da inauguração das suas operações, em 1946.
Projecto Vintage AeroClub
https://grupodakotatap.wordpress.com/projecto-a/



*Fotos do DC3 no Museu do Ar/Granja do Marquês em 16/04/2015

segunda-feira, junho 19, 2017

Bombeiros do Concelho de Sintra no incêndio de Pedrógão Grande


 Ponto da situação às 15h35m
-62 mortos e 135 feridos
-121 dos 135 feridos são civis
- O incêndio atinge neste momento 4 distritos
-13 bombeiros e 1 militar da GNR entre os feridos

Corporações do Concelho de Sintra presentes em Pedrógão Grande
Via "Notícias de Sintra"
"Os 37 bombeiros do concelho de Sintra que se encontram a combater o incêndio de Pedrógão, no distrito de Leiria, vão ser rendidos hoje ao final do dia.
Seis corporações de bombeiros do concelho de Sintra estão, desde esta madrugada, envolvidas no combate ao incêndio de Pedrógão. São 11 viaturas e 37 homens das corporações de Almoçageme, Algueirão-Mem Martins, São Pedro de Sintra, Queluz, Sintra e Montelavar.
O SINTRA NOTÍCIAS apurou que com a rendição destes bombeiros, ficam no combate ao fogo 39 homens das seis corporações que já estão no local, a que se junta também Colares. Passam também a ser 12 os veículos do concelho de Sintra no terreno."
Fonte:

domingo, junho 18, 2017

Tragédia em Pedrógão Grande

Foto do incêndio de Janas em 2007

Os Bombeiros de Almoçageme fazem parte da coluna de 10 veículos de combate a fogo florestal e de 35 Bombeiros Voluntários das seis Corporações de Bombeiros do concelho de Sintra que se deslocaram para o terrível incêndio de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, que já fez 61 vítimas mortais e mais de 57 feridos, dos quais 5 graves, quatro bombeiros e uma criança. Integram no teatro de operações um dispositivo de 593 efectivos que estão a combater as chamas, apoiados por 191 viaturas e oito meios aéreos.

Nota:
Mantém-se o Aviso Vermelho de Risco de Incêndio até às 21:00 de dia 18 de Junho, devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima e baixo nível de humidade para os Distritos de Lisboa, Bragança, Setúbal e Santarém.

Horário de Verão do Eléctrico da Praia das Maçãs


Na passagem por Colares


sábado, junho 17, 2017

Porque hoje é Sábado...

Casa na Árvore em Colares

Casa na Árvore
"Gostavas de viver numa casa feita numa árvore, com uma janela no tronco, uma cama de folhas e mantas, e uma corda para poderes entrar e sair? O Pedro e a Susana fogem da tia e vão viver para uma enorme árvore oca que encontram no coração da floresta. Vem descobrir como o Pedro e a Susana transformam a árvore numa casa e encontram um charco que serve de piscina! No final, espera-os uma grande surpresa!"
in "A Casa da Árvore"/Enid Blyton

Enid Blyton, de nacionalidade inglesa, é autora de muitos livros de aventuras para crianças e adolescentes. Escreveu histórias que ficaram para sempre no imaginário dos portugueses, como Os Cinco ou Os Sete, e criou personagens que ainda hoje fazem parte do nosso quotidiano, como o nosso amigo e tão conhecido Noddy. 
Os seus livros estão traduzidos em mais de 90 línguas. Ao longo da sua vida terá escrito mais de 800 obras. São famosas, entre outras, as coleções Mistério, Rapariga Rebelde e Gémeas 



Fonte do texto:
http://www.leyaonline.com/pt/livros/infantil-e-juvenil/10-anos/literatura-infantil/a-casa-na-arvore/




quinta-feira, junho 15, 2017

E porque hoje é feriado...

Azenhas do Mar ontem mesmo, com a piscina oceânica a ser utilizada como parte do areal
Caminhada no litoral Sintrense, neste caso na Praia Grande