quarta-feira, novembro 29, 2017

Avifauna do rio das Maçãs

Aproveitando o Sol, desta Quarta-feira de Outono, uma visita ao rio das Maçãs na Várzea de Colares, possibilitou os registos que publicamos.
Um casal visitante recente, que por cá continuam.
A garça-real que já nos habituámos a observar, aproveitando o bonito dia de Outono, no seu lugar de eleição.
Casal de patos-mudos, que também escolheu o rio das Maçãs, como seu habitat

terça-feira, novembro 28, 2017

Biblioteca de Arte Equestre com catálogo online

Foto PSML

"O lançamento assinala o mês de aniversário do nascimento de D. Diogo de Bragança (1930-2012) homenageando o distinto cavaleiro e estudioso da arte equestre. Este foi o digno sucessor do 6º Marquês de Marialva, Estribeiro-Mor do rei D. José e seu antepassado, conhecido pelo seu papel decisivo no aperfeiçoamento da Picaria Real e da arte equestre em Portugal na segunda metade do século XVIII. Equitador exímio, D. Diogo reuniu ao longo da sua vida um vasto espólio dedicado à Arte Equestre, Tauromaquia e Caça, sendo também autor de várias obras de grande mérito, que lhe granjearam reconhecimento nacional e internacional.

A Parques de Sintra, gestora da Escola Portuguesa de Arte Equestre (EPAE) sediada em Queluz, adquiriu esta colecção com o objetivo de a associar à EPAE e ao estudo da Arte Equestre.
Inaugurada em 2015, a Biblioteca de Arte Equestre é constituída por 1.400 títulos (cerca de 2.000 exemplares, alguns dos quais bastante raros, incluindo obras impressas e manuscritas, do século XVI ao século XX, e cerca de 200 gravuras e estampas originais.
O catálogo online, agora disponível a partir da página da Parques de Sintra ou directamente em http://bibliotecaarteequestre.parquesdesintra.pt, apresenta-se como uma ferramenta de pesquisa que permite que o conhecimento e o acesso à coleção seja mais eficiente, alargando o universo de utentes constituído por investigadores, estudiosos e curiosos da arte equestre."

Vídeo da Biblioteca de Arte Equestre: https://youtu.be/eYJDGIa9OeQ
*Texto adapt.da PSML

BlogueAlterPQ20130508m

 – A Escola Portuguesa de Arte Equestre  apresentaou-se em 22 a 25 julho, no Royal Welsh Show, para 8 apresentações naquela que é a maior feira de agricultura do Reino Unido, e uma das maiores da Europa.
. Alter20130508Blogue

."  A presença da Escola Portuguesa de Arte Equestre em apresentações internacionais é essencial para a divulgação e cumprimento da sua missão, que é fundamentalmente a promoção do Cavalo Lusitano e da equitação tradicional portuguesa."

Adaptado de um texto da PSML

Alterblogue Fotos no Palácio de Queluz em 9 Maio de 2013

Única biblioteca de Arte Equestre nacional  tem agora o seu catálogo disponível online

- Única biblioteca de Arte Equestre aberta ao público
- 1.400 títulos impressos e manuscritos
- Cerca de 200 gravuras e estampas originais
- Coleção inclui exemplares raros

segunda-feira, novembro 27, 2017

Cinema com Comboios

Começa hoje! Este ano o CINERAIL veio até Lisboa, ao Cinema São Jorge. Filmes do mundo inteiro em que os comboios, as estações e as linhas férreas são as personagens principais. Saiba mais aqui:http://bit.ly/2mAr7GC
Via Museu Nacional Ferroviario

domingo, novembro 26, 2017

Visitas no rio das Maçãs

Visitas ao rio das Maçãs, continuam. Desta vez um casal de patos brancos (domésticos?), que se integraram bem no bando de patos-reais que ali escolheram viver.


Depois de outra visita recente, de um casal de patos Mandarim:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/10/patos-mandarim-de-visita-ao-rio-das.html


Patos Mandarim na Várzea de Sintra

sábado, novembro 25, 2017

Porque hoje é Sábado...

barcoCascaisBlogue2012

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade

quinta-feira, novembro 23, 2017

Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre o anunciado abate de 1500 árvores no PNSC

Via Diário de Notícias:
O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre o anunciado corte de mais de um milhar de árvores na serra de Sintra, quando a autarquia avaliou que apenas meia centena seria passível de ser cortada.

"Os deputados Carlos Matias e Pedro Soares questionaram, no âmbito parlamentar, o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural acerca do "ponto de situação relativamente aos abates anunciados na primavera" no Parque Natural de Sintra-Cascais (PNSC).
A marcação de cerca de 1.350 árvores ao longo de cinco quilómetros junto da Estrada Nacional 9-1, entre a Malveira da Serra e a Lagoa Azul, e dentro da serra de Sintra, motivou a contestação de deputados, associações ambientalistas, cidadãos e autarcas.
"Afinal, quantas árvores prevê o ICNF [Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas] abater?", perguntaram os deputados, que querem ainda saber se a intervenção "está ou irá ser articulada com a câmara" e se as organizações ambientalistas estão informadas da "sensível operação".



"O presidente do ICNF, Rogério Rodrigues, comprometeu-se numa audição parlamentar, em abril, a reavaliar os critérios do corte, mas assegurou que a intervenção dava "cumprimento a normas que estão no plano municipal de defesa da floresta" e que visava "a proteção de pessoas e bens".
Na Assembleia Municipal de Sintra, o BE questionou o presidente da autarquia sobre o processo, tendo Basílio Horta (PS) afirmado que "não consentiria que acontecesse qualquer abate para além das 60 árvores" que a câmara identificara como passíveis de corte, por estarem mortas ou constituírem perigo.
O autarca deu conhecimento, em junho, ao ministro da Agricultura e Florestas que, da avaliação dos serviços municipais às árvores marcadas para corte, "só em apenas 43 foi possível identificar sinais de problemas estruturais ou fitossanitários enquadráveis nos pressupostos de segurança invocados pelo ICNF".
Na avaliação dos serviços de ambiente municipais constam, entre pinheiros, ciprestes e acácias, 27 árvores mortas, dez com grande inclinação, cinco com sinais claros de decrepitude e uma com evidência de fungos.
Perante este quadro, Basílio Horta concedeu que "poderão existir mais algumas (poucas) árvores" que sejam "justificadamente incluídas no eventual abate, embora o seu número total sempre se situará muito aquém das 1.350 árvores inicialmente marcadas".
"As bermas das estradas devem ser limpas e removidas as árvores efetivamente doentes. Porém, por maioria de razão, cuidar da floresta em zona Património da Humanidade tem de ser feito em articulação dos serviços especializados com o município e as associações", defendem os deputados do BE.
Uma intervenção que os parlamentares 'bloquistas', na pergunta ao Governo, advogaram ser indispensável decorrer "com rigor, segurança e valorizando as espécies autóctones e a biodiversidade".
A agência Lusa questionou o ICNF e o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, mas não obteve resposta até ao momento."
https://www.dn.pt/lusa/interior/be-questiona-governo-sobre-corte-de-arvores-em-sintra-cascais-8908808.html

quarta-feira, novembro 22, 2017

Obras de alargamento da EN249-3 no IC19 (sentido Sintra Lisboa)

A Câmara Municipal de Sintra informa sobre os condicionamentos de trânsito (estreitamento de via) durante os trabalhos em curso no IC 19, no sentido Sintra-Lisboa, no ramal de acesso à rotunda do Cacém e EN 249-3.
A Infraestruturas de Portugal - Direção de Gestão da Rede Rodoviária, Centro Operacional da Grande Lisboa, procede ao alargamento para duas vias no referido nó, traduzindo-se numa intervenção estruturante com grande impacto na fluidez e segurança do trânsito, representando uma importante mais-valia para a mobilidade rodoviária na rotunda e no acesso do IC 19, correspondendo a diversas solicitações por parte do município de Sintra.
Esta intervenção tem uma duração prevista de 120 dias.
Info. via CMS

terça-feira, novembro 21, 2017

Exposição "Monserrate Revisitado"



 A Parques de Sintra apresenta, no Palácio de Monserrate, a partir de 1 de dezembro, a exposição “Monserrate Revisitado – A Coleção Cook em Portugal”, no ano em que se celebram os 200 anos do nascimento de Sir Francis Cook (1817 – 1901). A mostra reúne peças da colecção de arte escolhidas pelo riquíssimo industrial inglês Sir Francis Cook no fim do século XIX, para a sua casa de veraneio, permitindo ao público compreender o valor artístico e histórico da sua coleção de arte em Portugal.

A exposição, resultado de uma pesquisa exaustiva, procura dar a conhecer a dimensão cultural do ilustre primeiro Visconde Sir Francis Cook e o conjunto de obras de arte que reuniu em Monserrate. Depois de ter sido dispersa em 1946, volta agora a ser possível admirar no palácio algumas das peças desta colecção, identificadas em acervos públicos e privados, e emprestadas temporariamente.

Este conjunto de mais de meia centena de preciosas obras de arte será disposto nas diversas salas do palácio agora restauradas, evidenciando a primorosa beleza dos seus estuques decorativos. A integrar a mostra encontra-se o relevo do Renascimento da autoria do escultor florentino Gregorio di Lorenzo, recentemente adquirido pela Parques de Sintra, que agora regressa ao Palácio para integrar a futura colecção museológica de Monserrate.

Francis Cook, notável colecionador de arte e mecenas, adquiriu a histórica quinta de Monserrate, Sintra, em 1856. Renovou o palacete que havia sido habitado pelo escritor William Beckford, decorando as suas salas com preciosas obras de arte, entre pintura, escultura, mobiliário, cerâmica e porcelana oriental, têxteis, ourivesaria, entre outras.

Texto da PSML .

segunda-feira, novembro 20, 2017

Sobre a Quinta dos Lagos em Sintra (reedição)


Foto do  EngºFCMendes (1930), via M.Clara Gomes/FB Adoro Sintra

- A  Quinta dos Lagos em Sintra, tem tido neste blog várias referências ao longo do tempo, a foto acima que não conhecíamos, permite hoje voltar ao tema.

(imagem maps.live.com) Quinta dos Lagos
*Clicar nas imagens para ampliar

"(...) Uma torre muito alta evoca as das cidades medievais italianas, com um relógio de torre e sineira nórdica. Como contribuição portuguesa, painéis de azulejos azuis e brancos e conchas barrocas acompanham dois episódios da vida de Santa Amália, primeiro coroada e segurando na mão uma cruz e um livro, e depois flutuando sobre um peixe. Decorada com grande requinte, a casa é rodeada por um jardim regado por águas abundantes, provenientes das antigas canalizações de origem moura. Muito pitoresco, esse jardim é pontuado por lagos que dão nome à quinta. O pintor J. Pinto ornamentou o mirante medieval."

*Texto de "Quintas e palácios nos arredores de Lisboa", de Anne de Stoop
"As duas torres feudais que ladeiam uma magnífica grade art nouveau anunciam desde a entrada do jardim o ecletismo da Quinta dos Lagos."*

Fotos da inauguração da casa de Fernando Formigal de Morais em 1909
Clicar nas imagens para ampliar

Fotos de Benoliel, publicadas na revista"Brasil- Portugal" nº255, de 1 de Setembro de 1909

A legenda da fotografia : "As novas construcções de Cintra, começam também a adquirir um certo caracter de elegancia.Damos hoje a photografia da casa do sr. Fernando Formigal de Moraes, recentemente construida na Variante da Estephania, cuja capella foi benzida a semana passada pelo sr. Arcebispo de Mytilene."(Fotos: Novaes, na "Ilustração Portuguesa" em 1909)
Publicámos diversos posts sobre Fernando Formigal de Morais. O palacete da Quinta dos Lagos,  foi mandado construir em 1907 - segundo projecto do Arq. Francisco Carlos Parente, pelo primeiro Presidente da Câmara de Sintra, após a implantação da República em 1910.
De um texto sobre a Quinta dos Lagos, publicada em “Quintas e Palácios nos Arredores de Lisboa “de Anne de Stoop editado pela livraria Civilização em 1986. transcrevemos:

“Decorada com grande requinte, a casa é rodeada por um jardim regado por águas abundantes, provenientes das antigas canalizações de origem moura. Muito pitoresco, este é pontuado por lagos que dão o nome à quinta e por pavilhões como um templozinho circular em ruínas ao gosto do séc. XVIII.”

“Na fachada da casa, vãos em asas de cesto, e de volta perfeita coexistem como uma «loggia» Renascença e uma torre muito alta, evocando as das cidades medievais italianas com relógio de torre sineira nórdica.”

sábado, novembro 18, 2017

Os 300 anos do Convento de Mafra

Comemorou-se no dia 17 de Novembro, o lançamento da primeira pedra do Convento de Mafra - motivo da reedição deste post.ConventoMafra120420112blogb.jpg
"Partimos para a semana, declarou Baltazar, e afinal ainda se passaram dois meses porque entretanto começou a constar em Mafra, e foi confirmado pelo vigário no sermão que vinha  el-rei a inaugurar a obra da raiz dos caboucos para cima, colocando com as suas reais mãos a primeiro pedra"
In Memorial do Convento/ José Saramago

Sobre os 300 anos do Convento de Mafra

Mandado construir por D. João V (1689-1750), em cumprimento de um voto para obter sucessão do seu casamento com D.Maria Ana de Áustria, ou a cura para uma grave enfermidade de que padecia, o Real Convento de Mafra é o mais importante monumento barroco português.
(...)
Construído em pedra lioz da região de Pêro Pinheiro e Sintra, o edifício ocupa uma área de 37.790m2, compreendendo 1200 divisões, mais de 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões.Sendo a maior "fábrica" do tempo, aqui trabalharam operários vindos de todo o reino, chegando a atingir cerca de 50.000 
Sala do trono
Basílica

"Estava Baltasar há pouco tempo nesta sua nova vida, quando houve a notícia de que era preciso ir a Pêro Pinheiro buscar uma pedra muito grande que lá estava, destinada à varanda que ficará sobre o pórtico da igreja, tão excessiva a tal pedra que foram calculadas em duzentas as juntas de bois necessárias para trazê-la e muitos homens que tinham que ir também para as ajudas. Em Pêro Pinheiro se construira o carro que haveria de carregar o calhau, espécie de nau da India com rodas, isto dizia quem já o tinha visto em acabamentos e igualmente pusera os olhos, alguma vez na nau da comparação."
in Memorial do Convento/ José Saramago
Foto em 2 de Julho de 2016

A biblioteca do Palácio Nacional de Mafra é uma das mais importantes bibliotecas europeias do século XVIII, com cerca de 30.000 volumes. Cruciforme, possui um pavimento em mármore policromo e estantes rocaille. Verdadeiro repositório de obras-primas, abrange todas as áreas do saber iluminista cientifico e religioso.Destacam-se os Livros de Horas iluminados do séc XV, a colecção de incunábulos e um núcleo de partituras musicais destinadas aos seis órgãos da Basilica.
in Palácio Nacional de Mafra/D.G.do Património Cultural
MafraBiblioteca402072016blog.jpg
Fotos  no Palácio Nacional de Mafra em 2 de Julho de 2016

Saber mais:
http://www.revistaport.com/mafra-tem-a-biblioteca-mais-deslumbrante-do-mundo/


Concebido inicialmente como um pequeno convento para 13 frades, o projecto para o Real Convento de Mafra foi sofrendo sucessivos alargamentos, acabando num imenso edifício de cerca de 40.000 m2, com todas as dependências e pertences necessários à  vida quotidiana de 300 frades da Ordem de S. Francisco.

sexta-feira, novembro 17, 2017

Perigo de incêndios a partir de Sexta-feira

A Autoridade Nacional de Protecção Civil alertou para o perigo de incêndios a partir de sexta-feira e durante os "próximos dias", face a previsões de subida de temperatura e à seca que o continente atravessa.

Citando informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Protecção Civil alerta para um "período de tempo seco e subida de temperatura, para valores acima da média para esta época do ano".
http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/proteccao-civil-alerta-para-risco-de-incendios-com-subida-das-temperaturas
Periodo critíco de Incêndios até 23 de Novembro.
Guarda Nacional Republicana

Informamos que o período crítico vai vigorar até ao próximo dia 23 de novembro!
Durante este período é proibido nos espaços florestais e agrícolas:
- fumar, fazer lume ou fogueiras;
- fazer queimas ou queimadas;
- lançar foguetes e balões de mecha acesa;
- fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
- a circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.
Quando fizer piqueniques, opte por levar comida já preparada e que não necessite de ser aquecida, uma vez que é proibida a realização de fogo para a sua confeção.
Contamos consigo!
Saiba qual o risco de incêndio para o seu concelho em http://goo.gl/gUhIO9.

Postal da Praia da Aguda

Aproveitando este Outono atípico, uma visita à Praia da Aguda, com um dia de muito Sol.
Com acessos reconstruídos, uma praia a visitar
Post relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/07/parque-natural-sintra-cascais-interdita.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/07/as-arribas-e-o-parque-natural-sintra.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2011/04/derrocada-na-arriba-na-praia-da-aguda.html

Fotos da Praia da Aguda em 16/11/2017

Texto da CMS
Sobre a reabilitação dos acessos em 2015
"Foram iniciados os trabalhos de reabilitação do acesso de Emergência à Praia da Aguda. 
A autarquia pretende, com esta obra, melhorar as condições de segurança necessárias para que a circulação pedonal seja possível em situações de socorro e salvamento.
A intervenção consiste na remoção da estrutura em madeira ali existente e em risco rotura, reconstrução de algumas fundações e colocação de novo passadiço/escadaria com guarda-corpos em toda a extensão.
Custo da obra: € 26.890,00 + IVA"

quinta-feira, novembro 16, 2017

Postal da Praia da Adraga


A Praia da Adraga uma das mais bonitas praias da nossa região foi considerada em 2003 uma das 20 melhores praias europeias, na opinião dos leitores e jornalistas do The Sunday Times, jornal britânico de grande circulação. Mas a Praia da Adraga surgia citada num honroso terceiro lugar , sendo a única praia portuguesa a aparecer na lista dos leitores do jornal inglês.

Para esta classificação (Agreste, selvagem, de um azul intenso....simplesmente bela) dos visitantes britânicos, que terão a mesma opinião dos muitos utilizadores daquele magnifico local, terá contribuido a beleza envolvente, como o rochedo em forma de arco que mergulha no mar, as falésias e a gruta. Na maré baixa pode-se passar para a Praia do Cavalo e subindo a falésia pode-se admirar o Fojo, uma cratera natural que permite observar o mar daquele ponto elevado ou a Pedra de Alvidrar, local preferido de pescadores.



"A Praia da Adraga, com um côncavo dourado de areia entre dois morros formidáveis. De um destaca-se uma pedra enorme caída no mar e o outro parece ser um monstro petrificado. O que aqui é mais interessante é o contraste entre as falésias cortadas a pique e a areia onde o mar banzeiro se espraia. O que aqui é admirável é a onda dum verde translúcido que se despedaça em rolos de espuma sobre as patas do monstro ante-diluviano.Do meio da praia a ilusão é perfeita. Vêem-se-lhe nitidamente a cabeça, os olhos, as ventas, o focinho aguçado, a boca enorme que mergulha na água- como se a fera sedenta tivesse descido há séculos da montanha e houvesse ficado ali a tragar o oceano para toda a eternidade."

Raul Proença -Guia de Portugal -Lisboa e arredores-Ed.1924

Fotos em 21/10/2017

quarta-feira, novembro 15, 2017

Postal de Colares antigo (Reedição)

Pelourinho2vaultimage.jpg

Várias fotos antigas do pelourinho de Colares chegaram até aos nossos dias - hoje publicamos mais um interessante registo (1926) do Arquivo Municipal de Sintra.

"Na exiguidade espaço da praça colarense que se concentram os edifícios e instituições indispensáveis à máquina administrativa do concelho (de Colares*) e da justiça. A casa da câmara e a cadeia ficaram no "castelo", ou seja, na estrutura de origem medieval, e, para isso, ter-se-ão procedido, talvez logo em 1516, a melhoramentos vários.
(...)
Ter-se-á, igualmente edificado em frente à Casa da Câmara, o elegante pelourinho ou «forca» - como é designado na gíria popular - que ainda hoje, domina o centro da pequena  "praça", símbolo de poder e de jurisdição e local de punição de criminosos. Desconhece-se, no entanto, se o pelourinho mantém a sua localização primitiva, porquanto duas das pedras do degrau inferior da plataforma - e prolongando-se sob a mesma - consistem em fragmentos de uma inscrição datável do seculo XVII, indicando que sofreu ulteriores trabalhos de beneficiação, embora em data incerta."

in "Colares"/Maria Teresa Caetano

*Nota do blog sobre o antigo Concelho de Colares extinto em 24 de Outubro de 1855, em consequência de Reforma Administrativa de 1834.
**Notas sobre o Pelourinho de Colares:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/01/notas-sobre-o-pelourinho-de-colares.html
***Castelo de Colares:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2009/04/o-castelo-de-colares.html

Saloio a debulhar milho em Colares 1928/Foto do Arquivo Municipal de Sintra

terça-feira, novembro 14, 2017

Sobre a Sociedade União Sintrense

 (Post reeditado)

Carlos José Paulo Santos,  colaborador frequente do Rio das Maçãs, fez o favor de autorizar a publicação de uma preciosa peça da história da Sociedade União Sintrense.

  Sociedade União Sintrense (SUS), fundada em 8 de Maio de 1877.


Dois grandes pilares da história da SOCIEDADE UNIÃO SINTRENSE.
Francisco Figueiredo dos Santos e Carlos Caetano dos Santos (Caínhas Pai), e o inseparável Pinóquio agarrado ao seu querido dono (foto).

O Ti Chico ia todos os dias abrir o bar da colectividade, o meu pai mais espaçadamente, fosse qual fosse o tempo.
Já se sentia naqueles tempos que as coisas estavam a mudar, a frequência era maior quando chegava estes tempos porque a Sociedade União Sintrense, tinha sempre uma àgua pé que arrumava quase todas as outras aqui na volta, a àgua pé era produzida na casa havia lá tudo, desde pipas a prensa, como não se podia vender usava-se o truque de que cada barril tinha um nome escrito a giz, com o nome de um associado. No dia 8 de Dezembro era o dia da matança do porco, do qual vos apresentarei noutro local uma foto de alguns colaboradores.

Texto  e foto de Carlos José Paulo Santos (Caínhas)
(Baterista dos Diamantes Negros)

Página de Facebook sobre a Sociedade União Sintrense:
https://www.facebook.com/sociedade.uniaosintrense

domingo, novembro 12, 2017

Patos Mandarim no rio das Maçãs

O "boom" turístico  também chegou ao rio das Maçãs - os últimos turistas a chegar.
Casal de patos Mandarim na Várzea de Colares

"O Pato-mandarim (Aix galericulata), marreco-mandarim ou de 65 a 75 cm.apenas mandarim, é um pato de médio porte, parente próximo do pato-carolino. Mede de 41 a 49cm de comprimento com uma envergadura 
O macho adulto é uma ave marcante e inconfundível. Possui um bico vermelho, faixas brancas crescentes acima dos olhos, uma face avermelhada e "bigodes". O peito é roxo com duas faixas verticais, os flancos rosados, com duas faixas laranjas que deslizam pelas costas. A fêmea é similar à fêmea do Pato-carolino, com um anel branco em volta do olho e desenhado para a parte de trás do olho, esbranquiçada na parte debaixo, com uma pequena faixa branca na lateral e esbranquiçada também na ponta do bico.[1]
Os Patos Mandarins são referenciados pelos chineses como Yuan-yang (chinês tradicional: 鴛鴦, chinês simplificado: 鸳鸯, pinyinyuān yāng), são frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade conjugal. Uma vez que, após acasalarem se mantêm aos pares para o resto da vida."
Na Wikipédia

No rio das Maçãs, na Várzea de Colares

sábado, novembro 11, 2017

Porque hoje é Sábado...

O Dia Mundial do Origami comemora-se a 11 de novembro.
Mais do que um simples papel dobrado, o origami é um símbolo de paz, utilizado há séculos em cerimónias e festivais japoneses. Uma menina de 12 anos de seu nome Sadako Sasaki, vítima da bomba atómica da Segunda Guerra Mundial, tornou o origami de um grou um símbolo de paz mundial.
A Propósito da efeméride,uma homenagem à Garça Real, que é nossa vizinha