quarta-feira, fevereiro 28, 2018

Sobre as Queijadas Alfredo Januário Gomes

FÁBRICA DAS QUEIJADAS FINAS ALFREDO JANUÁRIO GOMES
A fábrica das queijadas Alfredo Januário Gomes ,situava-se num edifício mais ou menos a meio da Volta do Duche (nº 22) e que foi demolido por altura do alargamento desta artéria em 1959.

Alfredo Januário Gomes faleceu a 16-3-1935 tendo o negócio continuado sob administração da viúva por mais alguns anos.

Em 17-7-1949 nesta antiga fabrica, abriu um novo estabelecimento comercial, o Bar-Restaurante "Sintra-Parque" que depois fechou passado alguns anos.

Com nova gerência abriu novamente com o nome de Pensão-Restaurante "Nova Lisboa", que durou até 1958/59.

O edifício da direita na foto, onde existiu a fábrica de queijadas "Alfredo Januário Gomes ", demolido em 1959.





Nota de José Alfredo Azevedo, relativamente ao local da fábrica:
-Na Volta do Duche, na loja do prédio junto à Azinhaga da Sardinha (primitivo traçado)e que foi demolida em 1960 para alargamento da artéria.

-Créditos : Contribuição do saudoso Valdemar Alves  em 2007, com o seu conhecimento e arquivo.

Post relacionados:
-Queijadas de Sintra I-Queijadas da Sapa 1ª parte-pressionar
-Queijadas de Sintra II-Queijadas da Sapa 2ª parte-pressionar
-Queijadas de Sintra III-FÁBRICA de «QUEIJADAS DO GREGÓRIO» 1ªPARTE-pressionar
-Queijadas de Sintra IV-FÁBRICA de «QUEIJADAS DO GREGÓRIO» 2ª PARTE--pressionar
-Queijadas de Sintra V-Fábrica de queijadas finas «A Mathilde»-pressionar

terça-feira, fevereiro 27, 2018

Aviso sobre a lagarta do pinheiro (processionária)

Foto retirada daqui

Via CMS
Começou já o período de infestação dos pinheiros pela processionária, vulgarmente conhecida como lagarta do pinheiro, a qual pode levar ao aparecimento de urticárias agudas de contacto, sobretudo em ambientes escolares. Como forma de prevenção, recomenda-se à população que evite passear em locais onde existam pinheiros, durante os meses janeiro a maio, ou levar a passear animais de estimação durante este período. O contacto com a processionária do pinheiro (bravo e manso) causa diversas alergias, tais como: irritação na pele, nos olhos e no aparelho respiratório, com gravidade dependendo de cada pessoa. Em caso de aparecimento de sintomas de alergia, a Câmara Municipal de Sintra recomenda que seja consultado de imediato o posto médico mais próximo ou através do telefone do SNS 800 24 24 24.


segunda-feira, fevereiro 26, 2018

Serões Musicais no Palácio da Pena

A quarta edição dos Serões Musicais no Palácio da Pena, ciclo de música dedicado ao repertório do período romântico, irá transportar-nos para diferentes paragens: Brasil, França e Espanha, mas sempre com Portugal no núcleo. Os primeiros concertos acontecem já nos dias 2 e 3 de março

domingo, fevereiro 25, 2018

Preferências por Monserrate

O Parque e o Palácio de Monserrate, em Sintra, foram  distinguidos pelo "The Guardian" como sendo uma das dez melhores atracções excêntricas da Europa.O ano passado o australiano "The Sidney Morning Herald", já tinha elogiado o Palácio e Jardins de Monserrate.
O jornal realça o “impressionante” jardim e as suas cataratas, arcos góticos e a “enorme coleção de plantas” onde mora o próprio palácio, cujo traço foi “inspirado no Brighton Pavillion”.

Janeiro de 2016
O Parque de Monserrate em destaque no "The Sydney Morning Herald" Monserrate07092011f
Foto no Parque de Monserrate em Set.2011-publicada no @Rio das Maçãs aqui

Monserrate gardens in Portugal has buzz of botanical familiarity for Australians


"Uma batalha no jardim entre a ordem e  o caos foi jogada ao longo dos séculos nos jardins de Monserrate na Vila da Serra de Sintra, a meia hora de Lisboa, em Portugal. Quando Lord Byron visitou em 1809 o palácio neo-gótico já era uma ruína, permitindo que o poeta usasse seu estado abandonado como uma metáfora moral no seu poema Peregrinação de Childe Harold. Isso fez de Monserrate um destino preferencial para todos os  turistas românticos.(...)"

In The Sydney Morning Herald/Trad. do blog

Ler aqui: http://www.smh.com.au/entertainment/monserrate-gardens-in-portugal-has-buzz-of-botanical-familiarity-for-australians-20151231-glxcc4.html#ixzz3xJnfjJCN

*Fotos Rio das Maçãs

sábado, fevereiro 24, 2018

Porque hoje é Sábado...

EstradaPeninhaBlog.jpg

"Na estrada e Sintra, perto da meia-noite, ao luar, ao volante,
 Na estrada de Sintra, que cansaço da própria imaginação,
 Na estrada de Sintra, cada vez mais perto de Sintra,
 Na estrada de Sintra, cada vez menos perto de mim..."

*Ao Volante de Chevrolet pela estrada de Sintra
Poesias de Alvaro de Campos -Fernando Pessoa.1944
,
RibeiradeSintra7.blogjpg.jpg
Ao volante de um Chevrolet pela estrada de Sintra
  http://riodasmacas.blogspot.pt/2012/06/porque-hoje-e-sabado_30.html

*Foto1 estrada da Peninha
*Foto2 Ribeira de Sintra

quinta-feira, fevereiro 22, 2018

Patos - Reais de Colares

Pato - real no rio das Maçãs na Vázea de Colares

"Apesar dos Patos-Reais não serem uma das espécies em vias de extinção, os seus habitats têm vindo a ser destruídos quer pela poluição quer pelo aquecimento global, e isso deverá ser uma das nossas preocupações. A protecção desta espécie passa pela conservação dos seus habitats."

Renovação  do bando garantido. Foto de 10 de Abril de 2017
"O habitat dos Patos-Reais são normalmente habitats aquáticos como, lagoas, barragens, valas, rios, arrozais, parques urbanos entre outros.
A dieta destes patos consiste essencialmente em alimentar-se de vegetações, plantas aquáticas, e pequenos invertebrados. Também já houve relatos de que se alimentam de pequenos anfíbios como os sapos.
Apesar de terem uma dieta bastante definida, nada os impede de se alimentarem dos alimentos que os seres humanos lhes fornecem, como por exemplo pão.
Em Portugal, o Pato-Real é uma ave não migratória, isto deve-se essencialmente ao clima e às condições que se mantêm estáveis ao longo do ano, não havendo assim necessidade de migrar para outras regiões à procura de melhores condições. O período de acasalamento desta espécie ocorre entre Março e Junho.
O macho abandona a fêmea assim que a fêmea comece a produzir ovos.
A fêmea após o acasalamento é capaz de produzir entre oito a treze ovos e o período de incubação dura aproximadamente vinte e oito dias.
As crias assim que nascem não precisam de ser alimentadas pela progenitora, eles alimentam-se de insectos intuitivamente, no entanto gostam de estar próximos da progenitora pois esta fornece-lhes protecção.
Por mais incrível que pareça, os Patos-Reais têm uma elevada taxa de acasalamento macho-macho.
Grande parte dos machos acasalam-se com outros machos, para ser mais preciso 19% da população de Patos-Reais é homossexual.
Apesar dos Patos-Reais não serem uma das espécies em vias de extinção, os seus habitats têm vindo a ser destruídos quer pela poluição quer pelo aquecimento global, e isso deverá ser uma das nossas preocupações.
A protecção desta espécie passa pela conservação dos seus habitats."
Texto retirado daqui:
http://www.maisnatureza.com/animais/aves/pato-real/#toc0


"O Pato-Real mede entre 56 a 65cm de comprimento, e pesa entre 0.9 a 1.2kg. Não é difícil realizar distinção de sexos, isto porque cada sexo possui características distintas, e durante o período de acasalamento essas características são acentuadas. Os machos têm uma cabeça verde, um anel branco no pescoço, o dorso é acinzentado e o peito de um tom de castanho-escuro, estas cores tornam-se mais fortes a quando o período de acasalamento, para chamar a atenção de um parceiro."

Texto retirado daqui
 

Um casal de patos reais na chegada ao seu habitat,  no  rio das Maçãs/Várzea de Colares


quarta-feira, fevereiro 21, 2018

Postal do antigo Casino de Sintra (reedição)


MU.SA - Museu das Artes de Sintra

Espaço museológico, que se encontra no antigo Casino, junto ao Centro Cultural Olga Cadaval, tem ainda uma zona para fotografia, uma Livraria Municipal e uma Galeria Municipal onde são apresentadas exposições temporárias de artistas nacionais e estrangeiros.


Pequeno historial do Casino de Sintra
Era no Casino que se realizava os ensaios do Orfeão de Sintra, que chegou a ter duzentos elementos Foi seu regente o maestro Luís Silveira. O Orfeão de Sintra também terminou precocemente em 1926 ou 1927.

O Casino de Sintra foi fundado por Adriano Júlio Coelho, construído sob projecto do arquitecto Norte Júnior, em 1922-24, como Casino durou pouco, posteriormente foi ocupado durante alguns anos por um Liceu, também como local de projecção de filmes, mais tarde pela Repartição de Finanças de Sintra, e nos últimos anos pelo Museu de Arte Moderna, onde esteve até 2006 em exposição parte da colecção Berardo e actualmente  pelo MU.SA.

Fotos em 9 de Janeiro de 2016
Posts relacionados:

terça-feira, fevereiro 20, 2018

Colares e os Plátanos

Postal antigo do início do Séc.XX, de Colares com plátanos em ambos lados da estrada, em frente às vivendas construídas por Inácio Costa, para as suas netas  Ema e Alda, actualmente albergam a farmácia e a Estação dos CTT.

Postal  mais antigo (?) da  mesma estrada de Colares, com muitos e altos Plátanos.

  Foto  antiga não datada,  bomba da gasolina da Várzea de Colares com os frondosos plátanos
 Créditos: Maria Clara Gomes via página de FB "Adoro Sintra ".


"Ao tempo da construção da Adega já existiam os plátanos frondosos que hoje podemos admirar desde a ponte da Várzea até ao Banzão no caminho da "Praia". São exemplares centenários nos quais os automobilistas apressados nem reparam.
A sombra destas árvores protegeu a fermentação de muitos "caldos" de boas colheitas que estagiaram dentro da Adega. Merecem pois que brindemos à sua saúde esperando no futuro sejam devidamente apreciados.
Para isso no local deveria colocar-se um painel informativo, chamando à atenção para estas imponentes árvores.
Os plátanos da Adega Regional de Colares são um dos "monumentos vivos" que povoam o Município Sintrense.
Um verdadeiro ex-líbris da antiga e nobre Vila de Colares...#

Cortez Fernandes -Blogue "Tudo de Novo a Ocidente"



segunda-feira, fevereiro 19, 2018

Insectos polinizadores em declínio por toda a Europa

Foto no Mucifal/Sintra em 19/02/2018
Abelhas, borboletas, vespas, escaravelhos: são todos insectos polinizadores e têm um papel fundamental no equilíbrio da biodiversidade. Nos últimos anos, porém, têm sido alvo de vários “ataques”, estando já em risco de extinção. Para combater este flagelo ambiental, a Comissão Europeia está a pedir aos cidadãos europeus sugestões para travar o declínio destas espécies.
Foto no Mucifal/Sintra em 19/02/2018
“Os cientistas têm-nos alertado para o acentuado declínio dos polinizadores por toda a Europa”, alerta Karmenu Vella, comissário europeu para o Ambiente. O desafio está lançado: investigadores, agricultores, empresários, organizações de ambiente, organismos públicos e cidadãos estão convidados a partilhar as suas ideias e soluções com a Comissão Europeia.
“Este é o tempo de agir. Se não o fizermos, nós e as gerações futuras pagarão um preço muito elevado”, avisa o comissário. Opinião partilhada por Phil Hogan, comissário europeu para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, que lembra que “os polinizadores são demasiado importantes para a nossa segurança alimentar e para as comunidades rurais, bem como para o nosso planeta. Não nos podemos dar ao luxo de os perder.”
Foto no Mucifal/Sintra em 20/01/2018





Até 5 de Abril, todas as ideias ou sugestões podem ser enviadas para aqui.

domingo, fevereiro 18, 2018

Protecção Civil, ICNF, CMS e Comandante dos Bombeiros Voluntários de Almoçageme de acordo com os abates no Parque Natural Sintra-Cascais

Notícia de hoje no D.N. confirma acordo da Protecção Civil de Sintra, da C.M.S , ICNF e do Comandante dos Bombeiros de Almoçageme, para o plano de abates de árvores no Parque Natural Sintra Cascais.
Foto em 30/01/2018
Em Janeiro verificámos novas marcações nas árvores, a partir da Lagoa azul até à estrada florestal entre a Malveira da Serra e o cruzamento da Portela.
Foto em 30/01/2018
O  DN esclarece que o relatório da Protecção Civil de Sintra admite que a intervenção" (370 árvores na serra de Sintra, a maioria pinheiros, mas também cedros e acácias"), que se trata "de uma remoção maioritáriamente de pinheiros que se encontram no fim do seu ciclo de vida". Embora as fotos que publicamos não o demonstrem.
Pinheiros jovens também marcados fotos em 30/01/2018

O DN, indica também que "o corte das 370 árvores foi objecto de parecer do comandante dos Bombeiros Voluntários de Almoçageme, que considerou "relevantes as medidas do ICNF, mas referiu que as acções de remoção, só por si não anulam a ocorrência deste tipo de incêndios florestais", apesar da "mitigação do risco"

É esclarecido também na notícia, que "para o comandante, no entanto, o ICNF deve também intervir no "lado oposto do perímetro florestal, em frente à Penha Longa, onde existem àrvores de grande porte com continuidade nas copas".

Foto em 30/01/2018, em frente à Penha Longa a Lagoa Azul...

E a terminar a notícia, mais um esclarecimento:"uma fonte oficial da Câmara Municipal de Sintra, disse à LUSA que presidente da autarquia, Basilio Horta (PS), "concorda com as conclusões e procedimentos adotados pela Protecção Civil Municipal"

https://www.dn.pt/lusa/interior/protecao-civil-de-sintra-estima-corte-de-370-arvores-na-serra-9125574.html
Posts relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/11/bloco-de-esquerda-questionou-o-governo_23.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2018/01/abate-de-arvores-no-pnsc-2-round.html

Notícia sobre a torre do Cabo da Roca com aviso à navegação


"O MAI conclui, que não se afigura possivel uma alteração do local de implantação"
Numa notícia do Jornal da Região de 15 a 21 de Fevereiro de 2018 - que ilustra com uma foto do "Rio das Maçãs".
Contrapõe a Assembleia Municipal de Sintra, que considerou que  a estrutura abre "uma profunda cicatriz na paisagem, visivel a quilómetros de distância, desvirtuando um local que recebe milhares de visitantes todos os dias".

sábado, fevereiro 17, 2018

Porque hoje é Sábado...

SPedro1970f

Este é o tempo


Este é o tempo
Da selva mais obscura

Até o ar azul se tornou grades
E a luz do sol se tornou impura

Esta é a noite
Densa  de chacais
Pesada de amargura

Este é o tempo em que os homens renunciam.

Sophia de Mello Breyner
in Mar Novo
 
*Foto Largo D.Fernando II- S.Pedro de Sintra, anos 70

quinta-feira, fevereiro 15, 2018

Postal de Almoçageme

 Postal dos anos 60

 Miguel Esteves Cardoso, no jornal Público:
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/almocageme-1628866

"Almoçageme
20/03/2014
A nossa terra devolve-nos ao tempo que é o nosso.
Em Almoçageme as fantasias são tratadas com doses terapêuticas de caridade. O espírito da aldeia – a bondade e a sabedoria em pessoa – é a Maria, casada com o senhor Amorim do Café Moínho Verde. Ela é energia; inteligência e generosidade. É um ser superior que gosta dos outros: é ela que trata dos pombos do largo, dos gatos, dos cães e de todos os outros bichos que têm mais azar do que nós.

As pessoas de Almoçageme são boas amigas da verdade. Odeiam a hipocrisia e a conversa de chacha. Dizem o que lhes vai na alma. Mas falam sempre com empatia; com delicadeza perante os recém-chegados, como nós.

As conversas que ouço são sempre lições amistosas: ensinam-me a ser humano. O sentido de humor é magnífico: a Dona Palmira, uma senhora que encontro no Eles e Elas do Senhor Cesaltino e da Dona Ana, é uma maravilha constante.

Esta aldeia é uma aldeia a sério. Ensina-nos a viver. Não exclui os que cá chegam. Aprende-se a dar valor à vida. Já não é pouco. É mais.

Ontem a Maria ralhou comigo por dizer mal do mês de Março que tinha mudado para frio e cinzento, afirmando com a razão dos séculos e da ciência, que "o mês de Março é mesmo assim".

É verdade que falta muito Março; que ainda vem aí Abril e que Maio nunca é tão bom como se pensa.

A nossa terra devolve-nos (reúne-nos, se alguma vez estivéssemos ligados) ao tempo que é o nosso.

Nós agradecemos. É a nossa sorte vivermos em Almoçageme. Morarmos cá é uma reles questão secundária.

Obrigados, Almoçageme!"

Participação:
 *Foto do Rio das Maçãs, no acesso ao quartel do Bombeiros Voluntários de Almoçageme

quarta-feira, fevereiro 14, 2018

O namoro do casal de patos mandarim no rio das Maçãs

 Hoje reencontrámos o casal de patos mandarim, que já cá tinha estado em Outubro passado - e talvez porque o clima do dia de S.Valentim, os influenciasse, demonstraram estar muito bem dispostos e brincalhões como dois namorados.
Momentos no rio das Maçãs, com o pato mandarim a tentar chamar as atenções, com grande agitação.
A dança do casal mandarim, observada pelos patos reais com indiferença

Fotos em 14/02/2018
Regresso à tranquilidade, após as brincadeiras amorosas, que agitaram as calmas águas do rio das Maçãs, nesta tarde do dia dos namorados.

http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/10/patos-mandarim-de-visita-ao-rio-das.html

terça-feira, fevereiro 13, 2018

Uma tarde no corso carnavalesco do MTBA

O Grupo União Recreativo e Desportivo MTBA organizou mais uma vez  o tradicional  carnaval, entre  na sede da coletividade e pelas ruas das aldeias envolvidas na organização – Magoito, Tojeira, Bolembre e Arneiro dos Marinheiros. Hoje terça-feira de carnaval, com o tempo a ajudar, realizou-se o cortejo de carnaval das 4 aldeias.
Este ano também com a presença de um numeroso grupo de Samba de Cabriz.
 Momentos desta tarde
Fotos em 13/02/2018
Momentos do desfile
África presente no Magoito
O Grupo União Recreativo e Desportivo MTBA organizou o tradicional carnaval, entre 10 e 13 de Fevereiro,

Limpeza obrigatória de terrenos até 15 de Março

Os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham parcelas em solo rústico, confinantes a edifícios, são obrigados a proceder à gestão de combustível, numa faixa de 50 m à volta dos edifícios, medida a partir da alvenaria exterior, de acordo com o disposto no Anexo do Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, na redação em vigor.
Foto  de um aviso num terreno em Janas


A Câmara Municipal de Sintra  está a desenvolver, uma campanha de sensibilização dos proprietários de terrenos para a obrigatoriedade de limpeza destes espaços até 15 de Março, numa faixa de largura até 50 metros à volta de habitações, estaleiros, armazéns, oficinas, fábricas ou outros equipamentos, medida a partir da alvenaria exterior da edificação.

 A CMS pretende assim contribuir para a prevenção dos incêndios florestais e informar os munícipes para os comportamentos de risco, regras que deverão ser cumpridas e as coimas que os mesmos incorrem caso não cumpram com o estipulado na legislação em vigor sobre esta matéria, cujo valor pode ascender até os 120 mil Euros.



Legislação aplicável:

segunda-feira, fevereiro 12, 2018

Assembleia Municipal de Sintra está contra a reinstalação de torre de 45m no Cabo da Roca

Foto do Farol do Cabo da Roca em 22 de Janeiro de 2018, sem a torre - derrubada pela tempestade ANA.

A Assembleia Municipal de Sintra está contra a reinstalação da torre de comunicações do Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo da costa portuguesa (SIVICC) junto ao farol do Cabo da Roca, que implicaria reconstrução de uma estrutura de 45 metros de altura que fere a beleza da paisagem e desfigura um dos ex-libris da costa Sintrense.

A Assembleia Municipal reivindica ainda  que o Ministério da Administração Interna estude alternativas de localização, procurando compatibilizar os compromissos assumidos pelo governo com a salvaguarda da paisagem e do património.


A iniciativa do Bloco  de Esquerda, foi aprovada pelo BE, PS, CDU, MPT e PAN, contando com a abstenção de PSD e votos contra do CDS.

Posts relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/02/cabo-da-roca-torre-metalica-e-o-estado.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2018/01/farol-do-cabo-da-roca-depois-da.html

domingo, fevereiro 11, 2018

Memorial da antiga Banda da Vila de Sintra


"Uma foto da última vez que a Banda Filármónica da Sociedade União Sintrense, saiu pelas ruas de Sintra, nos anos 80 do Século passado (...).
Muitos já não se lembram da sua existência mais que centenária, eu recordá-la-ei, sempre com muita saudade. Acabou por falta de substitutos dos velhos músicos que entretanto iam ficando impossibilitados de andar e tocar, ou que morriam, e também porque a Vila Velha, deixou de ter pessoas dentro das casas.
ISTO É UM MEMORIAL DA ANTIGA BANDA DA VILA, como sempre foi conhecida no meio musical Sintrense.
Á sua frente e a dirigi-la o Mestre Vasco Mendes Serra."

Texto adapt. da autoria de Carlos José Paulo Santos(Caínhas)
Foto original/Caínhas